Citadel Editora lança “Ninguém é f#dido por acaso”

“Aprendi muito com pessoas inspiradoras, mas aprendi muito mais com as que tentaram e tentam sistematicamente sabotar as minhas ideias, iniciativas e sonhos”, ensina Ricardo Bellino, empresário obcecado por seus projetos e persistente por natureza. O exemplo que o escritor traz no livro Ninguém é f#dido por acaso, da Citadel Editora, é emblemático.

Durante a semana de moda de Nova Iorque de 1994, um movimento da indústria chamou a atenção de Bellino para um problema sério que acomete as mulheres: sete em cada dez norte-americanas têm pré-disposição para desenvolver o câncer de mama. Um dos ícones da moda mundial, a marca Ralph Lauren, criou uma camiseta com o objetivo de conscientizar a população e arrecadar fundos e apoiar investimentos e pesquisas no tratamento do câncer de mama.

“Comprei duas camisetas, 15 dólares cada. Pedi à secretária de John Casablancas que me conseguisse o press release da campanha. Cheguei ao Brasil e pensei: ‘Vou colocar meu espírito empreendedor a serviço de uma grande causa social’”, relembra. De posse das duas camisetas, Bellino sentou diante de Fábio Hering, presidente da Companhia Hering, na época, a maior fabricante de camisetas do Brasil.

“Apresentei a ideia, e ele falou: “Bellino, desculpe contrariá-lo, mas essa campanha não vai dar certo aqui”. Fábio perguntou quantas camisetas haviam sido vendidas nos Estados Unidos, respondi que 300 mil. Ele calculou que no Brasil não venderíamos nem 30 mil, pois somos um décimo dos Estados Unidos. E, mesmo que conseguíssemos as modelos e as páginas de publicidade de graça – o que ele julgou impossível no primeiro momento –, teríamos que arcar com o custo de produção, e a venda de 30 mil camisetas não seria suficiente para viabilizar o projeto. “Fábio, não vim aqui perguntar o que você acha da campanha. Vim aqui para dizer que vou fazer a campanha e perguntar se você me apoia”.  (Ninguém é f#dido por acaso, página 134)

E se Bellino tivesse desistido na primeira negativa de Fábio, que era seu amigo “boa gente e boa-praça? ”, conforme ele mesmo adjetivou? Ele não teria lançado uma campanha que vendeu dez milhões de camisetas e arrecadou mais de US$ 50 milhões na década de 1990 para o tratamento e pesquisa do câncer de mama, salvando milhares de vidas e tornando-se um exemplo que a instituição americana Fashion Targets Breast Cancer franqueou em mais de 20 países.

Os nãos recebidos pelo protagonista da história de uma das campanhas sociais de maior sucesso no Brasil e no mundo podem ser conferidos na obra Ninguém é f#dido por acaso. Este é somente um dos muitos episódios relatados pelo escritor no manual do anticoitadismo lançado recentemente. Quem acompanhou essa emocionante jornada social encabeçada por Bellino, nem que seja comprando uma das camisetas, sabe que o autor tem propriedade para falar sobre persistência, foco, audácia e outros temas relacionados a projetos bem-sucedidos.

Sobre o livro: Nesse manual anticoitadismo, Ricardo Bellino ensina estratégias para sair da mediocridade (ou do buraco). Irreverente e desbocado, o empreendedor utiliza episódios pessoais como exemplos do poder que a troca de uma simples letra pode ter na vida das pessoas.

Ficha Técnica:

Título: Ninguém é f#dido por acaso – Um guia prático anticoitadismo

Autor: Ricardo Bellino

ISBN: 978-85-68014-82-0

Páginas: 176

Edição: 1ª (Abril 2019)

Formato: 16x23cm

Valor: R$ 42,90

da Redação A Toupeira

Filed in: Livros

You might like:

Crítica: “Dora e a Cidade Perdida” Crítica: “Dora e a Cidade Perdida”
Crítica: “Ford Vs Ferrari” Crítica: “Ford Vs Ferrari”
Segunda edição de 2019 do maior festival de Magic: The Gathering da América Latina acontece em São Paulo Segunda edição de 2019 do maior festival de Magic: The Gathering da América Latina acontece em São Paulo
Batman 80 – A Exposição: O Coringa hackeou o batcomputador e criou uma super promoção! Batman 80 – A Exposição: O Coringa hackeou o batcomputador e criou uma super promoção!
© 2019 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.