Conheça o trabalho da equipe de efeitos especiais de “Espíritos Obscuros”

Dirigido por Scott Cooper, produzido por Guillermo del Toro, David S. Goyer e J. Miles Dale, e com roteiro de C. Henry Chaisson & Nick Antosca e Scott Cooper, o novo filme de terror da Searchlight Pictures, Espíritos Obscuros, está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Baseado no conto The Quiet Boy de Nick Antosca, a produção se passa em uma cidade isolada do estado de Oregon, onde uma professora do ensino fundamental (Keri Russell) e seu irmão xerife (Jesse Plemons) se envolvem com seu enigmático aluno (Jeremy T. Thomas) cujos sombrios segredos levam a encontros aterrorizantes com uma lendária criatura ancestral que aparece diante deles.

Para criar o monstro característico de Espíritos Obscuros, Guillermo Del Toro chamou o seu frequente colaborador do departamento de arte, Guy Davis, com quem ele já havia feito parceria em filmes, como: A Forma da Água, Círculo de Fogo, A Colina Escarlate e The Strain: A Tenção do FX.

“Trabalhei em estreita colaboração com Guy e Scott Cooper no design do Wendigo”, diz Del Toro. “Uma grande representação de um ‘rei da floresta’ é uma coroa com chifres; Pensei: ‘se vamos usar um veado, o melhor é criar a criatura ao redor dessa galhada e fazer dela uma coroa’”, diz o produtor. “Guy também tentou encontrar uma certa assimetria no design, então sugeri que ele apagasse os olhos para representar a raiva cega e desumana”.

Del Toro continua: “Quando você tira os olhos de um rosto, ele perde um ponto focal. E se você mostra os dentes diretamente no crânio, parece que ele apenas está com fome! Fizemos o design dele para ter uma superfície mais plana. Ficamos muito tempo desenhando e esculpindo-o para que a sua superfície capturasse a maior parte da luz. Então, Guy inventou uma característica que era como um pelo no pescoço feito de pequenos espinhos. Ele colocou no sistema e começou a renderizar – ficou tão maravilhoso! Levou um tempo para que cada espinho e chifre fosse esculpido individualmente. [O supervisor de efeitos da criatura] Shane Mahan e a Legacy Effects fizeram um trabalho fantástico na execução de tudo isso”.

“A tarefa principal para nós era criar o ser físico do Wendigo”, diz Mahan. “Depois que obtivemos os designs conceito – quando sabíamos que a criatura não teria olhos e teria um rosto basicamente de ossos – tudo se encaixou. Passamos alguns meses refinando o design e trabalhando em estreita cooperação com Guillermo e Scott”.

“Eu realmente respondi à estética de Scott”, complementa o designer de produção Tim Grimes, que havia colaborado anteriormente com diretores visionários como Darren Aronofsky, Gus Van Sant e Lynne Ramsay. “Ele e eu trabalhamos no mesmo quadro, onde queríamos que os sets e locações parecessem reais e fundamentados, então quando introduzimos o mítico Wendigo, a sensação foi mais impactante”.

da Redação A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

Crítica: Quando o Demônio chama” Crítica: Quando o Demônio chama”
HBO Max: Três primeiros episódios de “Pacificador” já estão disponíveis na plataforma HBO Max: Três primeiros episódios de “Pacificador” já estão disponíveis na plataforma
A sala mais “very porreta” do Brasil chegou ao Escape Time A sala mais “very porreta” do Brasil chegou ao Escape Time
“Pânico”: Confira novo vídeo com o elenco original “Pânico”: Confira novo vídeo com o elenco original
© 9769 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.