Crítica: “A Turma do Pererê.doc”

A Turma do Pererê é uma série de histórias em quadrinhos, criado por Ziraldo, “o pai” do Menino Maluquinho – foram 43 edições entre os anos de 1960 e 1964 pela revista O Cruzeiro.

No documentário “A Turma do Pererê.doc”, dirigido por Ricardo Favilla, é resgatada a importância social e política de mais esta obra de Ziraldo, que foi de fundamental para o início da produção de hq’s no Brasil.

O documentário reúne diversos jornalistas, historiadores e quadrinistas que revivem a identidade e todo o simbolismo da turma que vivia na Mata do Fundão. Nomes como Laerte e Mauricio de Sousa comentam a relevância não só da obra, mas do próprio Ziraldo para a revolução das histórias em quadrinhos no país.

É muito interessante observar os personagens e suas características, muito nacionais: o Saci é Pererê, personagem clássico do folclore brasileiro; Tininim, um índio; Galileu, uma onça. Geraldinho, um coelho; Moacir, um jabuti; Alan, um macaco; Pedro Vieira, um tatu; Boneca de Pixe, uma garota negra, namorada de Pererê; e Tuiuiú, uma índia que transitava entre a aldeia e a modernidade. Cada um com aspectos emocionais muito humanos, no longa podemos ver detalhes da criação e da escolha de nome e personalidade.

A produção conversa com o público sobre problemas que afetavam o Brasil dos anos 1960. Muitos não imaginam, mas lá atrás, Ziraldo já falava sobre questões muito atuais, como a preservação da natureza, o destino correto do lixo e o cuidado com mananciais.

A obra também conta com depoimentos do próprio Ziraldo, que narra uma parte de sua trajetória. O garoto que saiu da região leste de Minas Gerais e foi para o Rio de Janeiro em busca do sonho de ser “desenhista de quadrinhos”. Foi abordado também o fato da publicação de A Turma do Pererê ser cancelada em um momento em que seus números eram gigantescos, durante um período tão conturbado que foi o do golpe militar – o cartunista, por sua vez, prefere não comentar sobre isso.

É inegável o peso das obras de Ziraldo para a cultura brasileira, e neste trabalho vemos seu pioneirismo, conseguimos enxergar a forma com que uma nova cultura foi criada para os artistas brasileiros a partir de sua representatividade.

“A Turma do Pererê. doc” deve ser incluído na sua lista de coisas para assistir, seja pelo amor incondicional à cultura, quadrinhos, política ou até mesmo por simples curiosidade.

por Carla Mendes – especial para A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

Crítica: “Clifford – O Gigante Cão Vermelho” Crítica: “Clifford – O Gigante Cão Vermelho”
Crítica: “King Richard: Criando Campeãs” Crítica: “King Richard: Criando Campeãs”
Crítica: “Que mal eu fiz a Deus? 2” Crítica: “Que mal eu fiz a Deus? 2”
Crítica: “A Babá: O Chamado das Sombras” Crítica: “A Babá: O Chamado das Sombras”
© 6704 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.