Crítica: “Ajuste de Contas”

100114 Ajuste de Contas pôsterApesar das inúmeras tentativas de amigos fãs do gênero, filmes que tratam de boxe – ou qualquer ramificação – continuam não figurando entre meus favoritos.

Mas a ideia de aliar o esporte à comédia me pareceu boa desde o princípio. “Ajuste de Contas” (Grudge Match), chega com a intenção de satisfazer a vontade do público ávido a conferir o inesperado encontro de dois grandes nomes do cinema e um roteiro planejado para quem espera por um humor fácil.

Os astros em questão são Sylvester Stallone e Robert De Niro, que têm em seus extensos currículos, papéis marcantes de lutadores de boxe, muito aclamados na década de 1970. Mas o novo longa não é um reencontro de velhos personagens, o que significa que Rocky Balboa (da franquia “Rocky”) e Jake La Motta (de “Touro Indomável”) não estão de volta às telonas.

Na trama, Henry “Razor” Sharp e Billy “The Kid” McDonnen são antigos rivais que, após 30 anos decidem ter a luta definitiva, a “melhor de três”, que seria a tônica para definir quem é o melhor – pelo menos dentro dos ringues, já que a tal rivalidade é presente também em suas vidas pessoais.

Desde que se descobriu a eficiência em se mostrar vulnerável e passível de rir de si próprio, os grandes atores de décadas passadas têm feito bonito em suas novas empreitadas. Em nenhum momento o público é levado a acreditar que Stallone ou De Niro encontram-se em sua melhor forma, em seus dias de glória. Mas é justamente essa “dura realidade” que se torna tão divertida.

Outra figura marcante dos anos 1980, Kim Basinger aparece como um amor antigo de Sharp, cuja participação é fundamental para se entender a verdadeira razão para a tal rivalidade dos lutadores fora dos ringues.

Boa parte dos espectadores vai se divertir com a busca pelas inúmeras referências aos filmes sobre boxeadores que marcaram as trajetórias dos protagonistas, que vão dos famigerados ovos crus tomados em jejum ao treinamento envolvendo peças de carne em um frigorífico, passando por sequências que mostram o auge de seu sucesso no esporte.

Destaque para a cena em que o personagem de Stallone faz comparações entre o clássico boxe e o moderno UFC, em uma pouco amistosa conversa com um dos mais conhecidos lutadores da atualidade, Chael Sonnen.

Vale conferir!

por Angela Debellis

Filed in: Cinema Tags: , , , , , , ,

You might like:

Filme sobre boxeador Éder Jofre é rodado no Rio de Janeiro Filme sobre boxeador Éder Jofre é rodado no Rio de Janeiro
Telecine Play celebra os 70 anos de Sylvester Stallone Telecine Play celebra os 70 anos de Sylvester Stallone
Netshoes ativa patrocínio a filme-biografia de José Aldo com produtos exclusivos e brindes Netshoes ativa patrocínio a filme-biografia de José Aldo com produtos exclusivos e brindes
Crítica: “Creed – Nascido para lutar” Crítica: “Creed – Nascido para lutar”
© 5721 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.