Crítica: “Ana”

Os integrantes de algumas duplas parecem ter sido feitos para ficar juntos, desde a primeira vista. No caso dos protagonistas de “Ana” (Ana), essa não é uma verdade absoluta, mas a partir do momento em que a narrativa se desenvolve, facilmente o espectador se convence de que eles formam uma excelente equipe.

A trama da comédia dramática dirigida por Charles McDougall e roteirizada por Cris Cole se passa em Porto Rico e mostra a rotina do americano Rafael Gonzalez (Andy Garcia), que se muda para o país em busca de facilidades na venda de carros usados com isenção de impostos. Este é o cume de sua história, que tem por trás um relacionamento fracassado com os dois filhos.

Após um furacão devastar o país e durante a gravação de um de suas propagandas promocionais, Rafael conhece a pequena Ana (Dafne Keen), garota de 11 anos, moradora recente da casa em frente à loja do personagem. Com a prisão da mãe e o pouco caso (mesclado com agressões físicas) do padrasto, a vida da menina vira de cabeça para baixo de repente.

Ainda que não tenha nenhum tipo de obrigação de ajudar, e mesmo estando em uma situação bem desfavorável – já que teve todos os carros apreendidos até que pague suas dívidas, o que resulta em falência – Rafael se dispõe a deixar Ana em segurança, de preferência ao lado de algum familiar responsável. Para isso, partirá em busca do pai biológico da garota, em uma longa e surpreendente viagem.

É muito bom acompanhar como a interação dos personagens cresce a cada novo fato vivido durante o percurso. De maneira bastante natural, eles passam a agir em prol do outro, a fim de que ambos possam encontrar a redenção que procuram – seja familiar ou econômica.

Mesmo sendo nitidamente uma comédia, a produção que faz parte do Festival Cinema pelo Mundo, disponível no Cinema Virtual, conta com momentos emocionantes – em especial no que diz respeito a decepções causadas por quem deveria nos ter em conta. E, além da bem executada carga dramática, o longa ainda traz uma inesperada crítica ao sistema que envolve fraudes entre igreja e política – tema sempre pertinente à sociedade em geral.

O grande destaque fica para Andy Garcia e Dafne Keen. Ele, veterano do cinema, entrega mais uma ótima atuação. Ela segue provando seu valor como promissora atriz e, depois de conquistar público e crítica em “Logan” e “His Dark Materials: Fronteiras do Universo”, volta a encher os olhos dos espectadores com mais um trabalho primoroso.

Vale conferir.

por Angela Debellis

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes.

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Irmãos na Cozinha fazem sessão de autógrafos e lançam livro inédito de doces saudáveis Irmãos na Cozinha fazem sessão de autógrafos e lançam livro inédito de doces saudáveis
Netflix divulga vídeo de Natal à brasileira com Leandro Hassum, protagonista de “Tudo Bem no Natal que Vem” Netflix divulga vídeo de Natal à brasileira com Leandro Hassum, protagonista de “Tudo Bem no Natal que Vem”
Cebolinha apresenta plano infalível na CCXP Worlds Cebolinha apresenta plano infalível na CCXP Worlds
Black Friday do Escape 60 oferece desconto em todas as salas da casa de jogos de fuga Black Friday do Escape 60 oferece desconto em todas as salas da casa de jogos de fuga
© 2208 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.