Crítica: “Antígona”

“Antígona” (Antigone), dirigido por Sophie Deraspe, adapta e atualiza a obra homônima de Sófocles, ao transpor a tragédia grega para os tempos atuais em Montreal, no Canadá ao trabalhar sobre uma família de refugiados. O longa estreou no Festival Internacional de Cinema de Toronto, ganhou o Prêmio de Melhor Filme canadense e se tornou a escolha para representar o país no Oscar de 2020.

Na trama acompanhamos Antigone, interpretada por Nahéma Ricci, uma imigrante que chegou ao Canadá aos três anos de idade acompanhada de sua avó Meni, seus dois irmãos Etéocle e Polynice e sua irmã Ismene, após a morte de seus pais em seu país de origem, em algum lugar do Oriente Médio ou Norte da África.

Quatorze anos depois Antigone é uma aluna modelo e vive uma vida simples e tranquila, até que uma grande tragédia atinge sua família ao Etéocle ser injustamente assassinado pela polícia durante a prisão de seu irmão Polynice.

Antigone então se encontra com um irmão morto e o outro correndo o risco de ser deportado para seu país de origem e decide ajudar Polynice a fugir da prisão e da possível extradição, rejeitando a lei dos homens pelo seu próprio senso de justiça e amor fraterno.

A diretora Sophie Deraspe mantém nomes iguais ao da obra clássica, mas consegue com sucesso abordar temas atuais como imigração, justiça e violência policial pelo prisma da obra original, usando elementos da tragédia grega e utilizando de forma perspicaz na narrativa publicações de Facebook, Twitter e Instagram.

A trilha sonora percorre um bom caminho se alternando entre hip hop moderno e tradicionais musicas árabes ligando os temas atuais a conceitos de ancestralidade e família. A trama nos conduz de forma tocante pelas dificuldades que Antigone passa ao ter que continuamente se decidir entre a sua cidadania e a união de sua família enquanto se torna um emblema de compaixão em oposição à lei e de luta contra a injustiça pelas redes sociais.

O filme pode ser conferido na plataforma Cinema Virtual.

por Isabella Mendes – especial para A Toupeira

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Como a série Batman: Arkham ajudou a mudar paradigmas de jogos de heróis Como a série Batman: Arkham ajudou a mudar paradigmas de jogos de heróis
“MM Thoughts”: reflexões sobre a vida em forma de drops e tiradas bem-humoradas “MM Thoughts”: reflexões sobre a vida em forma de drops e tiradas bem-humoradas
“Bless this Mess”: Segunda temporada estreia no canal Fox Premium “Bless this Mess”: Segunda temporada estreia no canal Fox Premium
Live Up lança saladas com flores comestíveis Live Up lança saladas com flores comestíveis
© 2020 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.