Crítica: “Arritmia”

Lançado em 2017, “Arritmia” (Aritmiya / Arrythmia) traz um lado da Rússia que talvez poucos brasileiros conheçam. Na obra acompanhamos a vida do jovem casal formado pelo paramédico Oleg Mironov (Aleksandr Yatsenko) e pela médica Katya (Irina Gorbacheva).

Logo de início nos é mostrado que o casamento deles está em crise, devido ao descaso de Oleg com a sua esposa e com o fato de que o paramédico bebe além dos limites, fazendo com que Katya peça o divórcio já nos primeiros minutos da trama.

Eles, no entanto, continuam vivendo juntos no seu pequeno apartamento até que Oleg encontre outro lugar para ficar, mostrando em cena as dificuldades e a tristeza da convivência problemática de um casal em separação – tudo isso com o pano de fundo das dificuldades de suas profissões.

Dirigido por Boris Khlebnikov (que escreve o roteiro junto à Nataliya Meshchaninova) tinha como intenção ser uma comédia, mas mudou drasticamente de tom depois que o diretor passou a pesquisar a vida dos profissionais da saúde. Vale dizer que na Rússia os profissionais da saúde não são bem valorizados.

Acompanhamos o paramédico cada vez mais frustrado com as condições de seu trabalho, principalmente depois da chegada de um novo e cruel chefe, que implementa uma série novas regras que dificultam não só o trabalho de todos os paramédicos, como também colocam as vidas dos pacientes em risco.

Oleg, abatido com a sua situação com Katya, e cada vez bebendo mais em suas horas vagas, desafia continuamente a nova chefia, ignorando as burocracias e tentando fazer o máximo para salvar vidas.

“Arritmia” é um filme interessante, mas que com seu ritmo lento e fotografia crua pode não agradar a todos. Com a montagem, que por vezes lembra documentários, não há nenhuma intenção em romantizar a relação do casal principal, nem a profissão de salvar vidas cotidianamente.

Pelo contrário, Alexander Yatsenko entrega um personagem que ao mesmo tempo em que faz com que o espectador fique ao seu lado durante seu trabalho (cada vez mais sucateado), também estimula a torcida para que a personagem de Irina Gorbacheva se liberte do casamento.

Juntando as confusões com os pacientes, os problemas com álcool e uma visão racional do sistema russo de saúde, Boris Khlebnikov oferece um trabalho catártico e intrigante, ao mesmo tempo em que é positivamente indigesto por toda a realidade colocada em tela.

por Isabella Mendes – especial para A Toupeira

*Título assistido em Cabine de Imprensa Virtual promovida pelo 1º Festival de Cinema Russo.

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Mulher-Maravilha é destaque em teaser e pôster de “Zack Snyder’s Justice League” Mulher-Maravilha é destaque em teaser e pôster de “Zack Snyder’s Justice League”
Orquestra Sinfônica Petrobrás terá concerto virtual com trilhas de cinema exibido no YouTube Orquestra Sinfônica Petrobrás terá concerto virtual com trilhas de cinema exibido no YouTube
The Flash é o personagem do dia em pôster individual e teaser temático de “Zack Snyder’s Justice League” The Flash é o personagem do dia em pôster individual e teaser temático de “Zack Snyder’s Justice League”
Escape 60 oferece o jogo on line “Bob Esponja e o Amuleto Perdido de Atlântida” gratuitamente Escape 60 oferece o jogo on line “Bob Esponja e o Amuleto Perdido de Atlântida” gratuitamente
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.