Crítica: “Até que você me ame”

“Até que você me ame” (Hippopotamus), dirigido por Edward A. Palmer, conta a história de Ruby (Ingvild Deila), uma jovem que acorda em um quarto branco praticamente vazio, e com restrição de seus movimentos, já que seus joelhos estão machucados. Ela se depara com Tom Allcroft (Stuart Mortimer), o homem que a sequestrou, e que deixa claro que só a libertará, quando a garota se apaixonar por ele.

O suspense é um daqueles filmes que você começa sem entender nada, e termina da mesma maneira. Isso porque a história é contada através de diferentes pontos, que podem vir a confundir os espectadores, fazendo com que as pessoas não compreendam aonde a narrativa deseja chegar, abrindo espaço para interpretações.

Logo de início, a única coisa que sabemos é que Ruby foi sequestrada, e que só está ali porque Tom deseja que ela se apaixone por ele – não existe mudança de cenário, e tampouco uma breve introdução sobre como as coisas chegaram aquele ponto.

É nesse momento que percebemos que o próprio vilão tenta desencadear na jovem, a famosa Síndrome de Estocolmo: sua aproximação com a garota vai acontecendo de forma gradual e atenciosa, demonstrando que ele a conhece bem, e que não lhe fará mal.

Com o avanço da história, Ruby descobre que possui um distúrbio chamado amnésia retrógrada, e conforme alguns fatos vão sendo revelados, o longa inverte os papéis dos personagens e a jovem indefesa passa a representar o próprio motivo de estar naquela situação.

É a partir deste ponto que questões como abuso sexual, sequestro, e até mesmo a condição neurológica da protagonista são abordados, formando uma junção de conflitos que supostamente ditam o rumo da narrativa. O longa dá a entender que, apesar dos acontecimentos terem sido angustiantes, eles foram necessários em nome do amor e do cuidado.

O longa acaba se encaminhando para um desfecho confuso, não sabendo amarrar as pontas soltas que surgiram no decorrer da história. Alguns aspectos ficaram entreabertos, não sendo explicados da maneira como deveriam, fazendo com que mais uma vez a narrativa se torne interpretativa aos olhos de cada espectador.

por Victória Profirio – especial para A Toupeira

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes. Já disponível na plataforma Cinema Virtual.

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Nat Geo apresenta três documentários sobre o Monte Everest Nat Geo apresenta três documentários sobre o Monte Everest
Imagem Filmes divulga pôster nacional e trailer legendado de “Bill & Ted: Encare e Música” Imagem Filmes divulga pôster nacional e trailer legendado de “Bill & Ted: Encare e Música”
Assista ao trailer oficial da 5ª temporada de “Lucifer” Assista ao trailer oficial da 5ª temporada de “Lucifer”
Escape On Line + Pizza = Promoção do Escape Hotel e da Forneria da Chácara Escape On Line + Pizza = Promoção do Escape Hotel e da Forneria da Chácara
© 2020 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.