Crítica: “Batalha dos Zumbis”

Batalha dos Zumbis” (Posljednji Srbin u Hrvatskoj / The Last Serb in Croatia) é um filme interessante e divertido sobre zumbis, em um cenário inusitado: a Croácia. Quando já vimos quase tudo sobre mortos vivos no cinema, uma comédia pode trazer algo de novo ao brincar com o que conhecemos sobre o assunto. Apesar de o tema ser associado a títulos de terror, o longa é leve e foca mais na aventura e comédia do que no horror.

Sete anos após uma grave crise que levou a Croácia à falência, a água se tornou algo raro e precioso e há uma luta por ela no mundo. Com uma população que caiu para apenas 2,5 milhões de pessoas, as diferenças entre os ricos e pobres se tornaram enormes no país.

Para conseguir água, aqueles que têm poder estão dispostos tudo: de promover guerras a infectar nações específicas com vírus zumbis. Quando uma epidemia zumbi começa na Croácia, o bon-vivant Milan “Mico” Motika (Kresimir Mikic), acostumado a uma rotina luxuosa de cinema e carros caros, precisa encontrar formas de sobreviver.

Com Franka Anic (Hristina Popovic), uma atriz de cinema conhecida pelo seu grande papel de heroína em uma série de filmes, Mico inicia uma jornada rumo à sobrevivência, passando por um acontecimento inusitado atrás do outro.

Na trama somos, logo no início, apresentados a uma corporação maligna que está por trás de tudo, que vive em uma estação espacial sem ligar para os males que provoca na Terra e que possui contato com políticos e exércitos por todo o planeta.

Escrito e dirigido por Predrag Licina, o filme apresenta um humor interessante, e um tanto provocativo, e mesmo com uma crítica sócio-econômica não é uma obra que se leva muito a sério, o que é um ponto positivo. Com um orçamento pequeno e bom uso do que tem à disposição, faz comédia com praticamente todos os clichês de filmes de zumbis e parece ter influência de produções como “Zumbilândia” e “Todo Mundo Quase Morto”, ainda que com uma linguagem própria.

O roteiro ainda aborda de forma interessante, sem tornar o ponto central da trama, a relação conturbada entre a Croácia e os países que antes formavam a Iugoslávia, principalmente com a Sérvia. Ao longo da narrativa, o título original – “O último sérvio na Croácia” passa a fazer mais sentido do que o escolhido para a versão em português.

Fica claro que a intenção do diretor, em meio às piadas do roteiro, é a de mostrar que não vale a pena manter as desavenças locais, e que há perigos maiores lá fora, seja um apocalipse zumbi que precisa da união de todos para ser vencido, ou organizações mundiais malignas que não ligam para países pequenos como os do leste europeu – o que reflete um pouco a posição em que a Croácia se encontra em meio a Europa.

O filme se encerra bem, mas deixa um gancho para futuras continuações. Mesmo sendo uma comédia que flerta com o absurdo, “Batalha dos Zumbis” consegue trazer algo caro aos longas sobre zumbis, às críticas à sociedade moderna e ao consumismo, assim como sobre totalitarismos e a posição do indivíduo em meio às massas e questões geopolíticas, tudo de uma forma leve e divertida.

por Isabella Mendes – especial para A Toupeira

*Título assistido via streaming, a convite da A2 Filmes. Disponível no Now, Looke, Vivo Play, Apple TV, Microsoft e Google Play.

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Crítica: Quando o Demônio chama” Crítica: Quando o Demônio chama”
HBO Max: Três primeiros episódios de “Pacificador” já estão disponíveis na plataforma HBO Max: Três primeiros episódios de “Pacificador” já estão disponíveis na plataforma
A sala mais “very porreta” do Brasil chegou ao Escape Time A sala mais “very porreta” do Brasil chegou ao Escape Time
“Pânico”: Confira novo vídeo com o elenco original “Pânico”: Confira novo vídeo com o elenco original
© 3986 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.