Crítica: “Carros 3”

Onze anos já se passaram desde que Relâmpago McQueen chegou à pacata cidade de Radiator Springs e às salas de cinema de todo mundo. Em duas produções (de 2006 e 2011), o carro vermelho de número 95 venceu inúmeras vezes a disputada Copa Pistão, fez amigos de verdade, encontrou o amor, viveu uma aventura estilo agente secreto e conquistou seu lugar entre os nomes marcantes da animação.

“Carros 3” (Cars 3), novo capítulo da franquia da Disney / Pixar, reaproxima o campeão do público de forma bastante natural, ao colocá-lo de frente com um antagonista que é comum a todos: o tempo. Apesar de ainda mostrar-se disposto a correr profissionalmente, McQueen sente o peso da passagem dos anos com a chegada de jovens concorrentes como Jackson Storm, que não só têm as mais modernas tecnologias, mas também a juventude a seu favor.

No caminho para tentar melhorar seu desempenho nas pistas (e adiar a decisão de “pendurar as calotas”), o herói conhece a divertida e exigente treinadora Cruz Ramirez, cuja história pessoal irá se tornar um dos pilares centrais da trama.

E se a introdução de novos integrantes é bem-vinda e necessária, a participação de nomes já consagrados como Luigi e Ramon mostra-se bastante eficaz (apesar de algumas cenas serem muito rápidas). É gratificante perceber que a amizade de McQueen com o simpático Mate permanece sólida e como a convivência com o veterano Doc Hudson influenciou – para melhor – sua conduta.

A história consegue manter-se equilibrada do início ao fim e desperta o interesse da plateia ao tratar de assuntos cujas temáticas serão responsáveis por risadas, sorrisos e até mesmo lágrimas – sejam de emoção ou nostalgia. Quem já conhece os personagens facilmente se verá envolvido por esse retorno às telonas.

Depois de três longas, a saga chegou àquele ponto crucial em que o final é satisfatório o bastante para ser, de fato, o encerramento das histórias, mas aberto o suficiente para dar margem a novos caminhos a serem trilhados.

Destaque também para o curta-metragem que antecede a produção. “Lou – Lost and Found” entrou para minha lista de favoritos de todos os tempos.

Corra para os cinemas!

por Angela Debellis

Filed in: Cinema

You might like:

Direto da Toca: Conhecemos a sala “MacGyver” do Escape 60 Direto da Toca: Conhecemos a sala “MacGyver” do Escape 60
Escape Time inaugura Sala “Jogos Mortais” em São Paulo Escape Time inaugura Sala “Jogos Mortais” em São Paulo
Cinépolis terá Maratona de “Vingadores” com valor de meia entrada Cinépolis terá Maratona de “Vingadores” com valor de meia entrada
Vingadores ganham Maratona e Combo Especial no Kinoplex Vingadores ganham Maratona e Combo Especial no Kinoplex
© 8226 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.