Crítica: “Meu ex é um espião”

Espionagem é um tema que pode render filmes de várias vertentes. De clássicas franquias com tendências mais sérias como a protagonizada pelo agente James Bond, a claras comédias como as do personagem Johnny English. Dessa vez, entre bons momentos de ação, o traço cômico dá o tom a “Meu ex é um espião” (The spy who dumped me).

O longa nos apresenta Audrey (Mila Kunis) e Morgan (Kate McKinnon), dupla de amigas inseparáveis que se vê envolvida de maneira inesperada em uma perigosa trama secreta, graças ao espião Drew (Justin Theroux), o tal “ex” do título. A intervenção delas será fundamental para barrar os planos de uma célula terrorista que tenciona colocar as mãos em uma lista com informações confidenciais.

Para a trama funcionar como deve, é necessário que o público se desapegue de vários fatos que sem a devida explicação lógica poderiam comprometer a diversão, como a incrível habilidade de fuga e o eficiente manuseio de armas que as amigas têm, ainda que nada disso seja trivial na rotina de uma pessoa comum que não passe por treinamentos específicos.

Dito isso, a narrativa tem pontos muito divertidos, que ganham ainda mais destaque graças à excelente química entre Mila e Kate. Conforme a história avança, mais fácil fica acreditar que as personagens que interpretam realmente mantêm uma amizade, com tudo de positivo – ou não – que isso possa significar.

Se Audrey tenta ser o lado racional – mesmo nos momentos mais frenéticos, Morgan é o coração da dupla e é isso que faz com que na mesma sequência tenhamos uma se passando por outra pessoa para ter acesso a um evento importante (no qual as informações seriam vendidas), enquanto a outra tenta realizar seu sonho de criança de ser malabarista (embora isso signifique colocar a vida nas mãos da assassina de aluguel Nadedja, interpretada por Ivanna Sakhno).

O grande mérito do longa dirigido e roteirizado por Susanna Fogel, é, apesar da trama simples – e com reviravoltas óbvias – conseguir manter o interesse de quem o assiste. Podemos imaginar o final, mas queremos ver o que vai ocorrer para levar os acontecimentos até o ápice. E enquanto isso, ainda dá para rir de várias situações, que variam de complexidade e importância.

Vale destacar a participação de Gillian Anderson (como Wendy, alta funcionária do MI6), que apesar do pouco tempo em tela surge em boas sequências; e a de Sam Heughan (no papel do espião Sebastian), cujo personagem tem suas reais intenções postas em dúvida por várias vezes durante o longa.

E só para constar (é preciso ver a produção para entender): em minha opinião, “Mmm, Mmm, Mmm, Mmm” do grupo Crash Test Dummies está bem longe de ser a pior escolha em uma Jukebox!

por Angela Debellis

Filed in: Cinema

You might like:

“O Rei Leão” se torna a 10ª maior bilheteria do cinema “O Rei Leão” se torna a 10ª maior bilheteria do cinema
“Friends” é o tema da nova edição da Casa Warner “Friends” é o tema da nova edição da Casa Warner
Ragazzo lança promoção com pratos clássicos da rede pelo preço de lanches Ragazzo lança promoção com pratos clássicos da rede pelo preço de lanches
Divulgado pôster oficial de “Os Parças 2” Divulgado pôster oficial de “Os Parças 2”
© 2019 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.