Crítica: “O Homem Perfeito”

“O Homem Perfeito” é a nova comédia romântica dirigida por Marcus Baldini. Estrelada por Luana Piovani, Marco Luque, Sergio Guizé e Juliana Paiva. O filme segue a história de Diana Prado (Piovani), uma bem-sucedida ghost-writter de autobiografias de famosos, mas cujo comportamento controlador levou ao colapso do casamento com Rodrigo (Luque), um desleixado e infantil cartunista digital, que a trocou por uma bailarina mais nova (Paiva).

Para separar o novo casal, Diana tentar criar um homem perfeito usando as redes sociais, e contando com a ajuda do interlocutor de seu novo livro, o rockstar Carlos Henrique (Guizé). Porém, essa jornada fará os dois descobrirem mais de si do que imaginavam.

Esta não é uma comédia pastelão, como a maioria das produções nacionais do gênero. Sua comicidade vem mais de situações que se tornam engraçadas, do que de piadas, e situações forçadamente divertidas. Então não é um filme que fará o espectador rir todas as horas, mas ainda assim, é engraçado.

As atuações ajudam a manter o elemento “cômico”. Luana Piovani faz muito bem a mulher controladora, a qual o jeito do marido levou ao cansaço. Luque trouxe sua experiência com a comédia do CQC, e fez o papel do estereótipo do artista que sempre espera a explosão de seu trabalho – o que pode ser um tanto ofensivo para quem viva no meio. Guizé, por sua vez inspirado em astros do rock de outrora, faz muito bem o papel do rockstar devasso e adpto da farra, porém consegue expor o lado gentil que o personagem aparenta ter esquecido. E Paiva, mostrou-se bem como a jovem artista alternativa, mas que luta para conquistar seu lugar entre os grandes nomes – o oposto do personagem de Luque.

Outro fato interessante é como as redes sociais podem ser usadas para manipulação da percepção da realidade das pessoas: Diana consegue criar um verdadeiro personagem fictício, pelo qual Mel (Paiva) se apaixona. O longa apesar da comicidade e da leveza, pode ser um grande alerta para o fato de que o que está na Internet, não necessariamente reflete a realidade.

Nos aspectos técnicos a produção é mediana. A fotografia cumpre seu trabalho, não é a melhor, mas não é ruim. A trilha tem várias músicas não compostas para o filme, mas bem utilizadas – as originais não são as melhores, mas todas encaixam bem.

Por fim o roteiro, talvez não seja o mais interessante aos fãs das comédias mais pastelão nacionais, mas vai agradar a quem gosta de comédias românticas. Certos aspectos, poderiam ser melhor lapidados para mostrar mais da força das personagens, particularmente as femininas, sem tanto impacto no desfecho, porém não é nada que seja grave e que vá fazer virar os olhos.

por Ícaro Marques – especial para A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

“Loki”: Saiba fatos sobre a nova série da Marvel Studios “Loki”: Saiba fatos sobre a nova série da Marvel Studios
Disney+: Saiba tudo sobre “Luca”, a nova animação da Pixar Disney+: Saiba tudo sobre “Luca”, a nova animação da Pixar
Escape Time Brasil e LendaTV apresentam “O Museu”, uma exposição de terror inédita no Brasil Escape Time Brasil e LendaTV apresentam “O Museu”, uma exposição de terror inédita no Brasil
Starzplay anuncia elenco de “Dangerous Liaisons”,  inspirada no clássico “Ligações Perigosas” Starzplay anuncia elenco de “Dangerous Liaisons”, inspirada no clássico “Ligações Perigosas”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.