Crítica: “Scooby! O Filme”

Se alguém lhe propuser citar personagens clássicos dos desenhos animados, existe uma grande possibilidade de títulos do Estúdio Hanna-Barbera, incluindo Scooby-Doo figurar em sua lista mental.

O divertido cachorro foi apresentado ao público em 1969 com a série “Scooby-Doo, Cadê você?” (Scooby Doo- Where are you!) e, desde então, já protagonizou inúmeras produções, tanto no cinema quanto na televisão, passando por games e títulos produzidos em DVD.

A mais recente é “Scooby! O Filme” (Scoob), inicialmente prevista para estrear nas telonas, mas que, devido à pandemia de Covid-19, teve seu lançamento direto em plataformas de Video on Demand e está disponível no Brasil a partir de hoje, 06 de agosto.

Na trama, vemos o primeiro encontro entre Scooby (voz de Frank Welker) e seu fiel parceiro de aventuras, Salsicha (Will Forte), quando os dois ainda eram pequenos e precisavam de alguém com quem contar. Também acompanhamos a formação da Agência Mistério S/A, em plenos festejos de Halloween, com a inclusão dos amigos Daphne (Amanda Seyfried), Velma (Gina Rodriguez) e Fred (Zac Efron) e confirmamos a informação de que o grupo sempre foi eficiente.

Após uma passagem de tempo, os personagens já ganham a aparência conhecida que consegue encontrar o equilíbrio perfeito entre o moderno e o sempre bem-vindo estilo tradicional – o que conta muito para um resultado que, felizmente, é muito satisfatório.

Embora a narrativa não tenha como cerne a habitual aparição de fantasmas “fajutos” – o que dá o tom à grande maioria das aventuras dos famosos amigos – ela consegue entreter do início ao fim e conta com momentos de muita inspiração.

Ampliando o número dos que lutam pela justiça, três nomes são incluídos na história: a memorável dupla formada por Falcão Azul (Mark Wahlberg) e Dinamite – O Bionicão (Ken Jeong), além da muito inteligente Dee Dee Skyes (Kiersey Clemons). Caberá a eles – junto a Scooby e Salsicha (que temporariamente se separam dos demais membros da Mistério S/A) resolver os problemas.

Pelo lado da vilania, quem dá as caras é também um icônico nome das animações clássicas: Dick Vigarista (Jason Isaacs), que segue roubando – em sentido literal – a cena e se mantém como um dos vilões mais emblemáticos das animações.

O grande destaque do longa é a imensa qualidade visual e o respeito pela obra original – percebido na maior parte do tempo. Os fãs de longa data não terão dificuldades em encontrar inúmeros easter-egss espalhados pela história, que farão várias crianças interiores se empolgarem com o aguardado retorno do dog alemão mais famoso da indústria do entretenimento.

Imperdível.

por Angela Debellis

*Título assistido via plataforma de Video on Demand .

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

“O Auto da Compadecida” está de volta à tela grande em comemoração aos 20 anos do seu lançamento “O Auto da Compadecida” está de volta à tela grande em comemoração aos 20 anos do seu lançamento
Amazon Prime Video divulga cartaz oficial da série Original Amazon “Truth Seekers” Amazon Prime Video divulga cartaz oficial da série Original Amazon “Truth Seekers”
Whindersson Nunes empresta voz a Jackie Chan em ‘Contos do Caçador de Sombras’ Whindersson Nunes empresta voz a Jackie Chan em ‘Contos do Caçador de Sombras’
Netflix divulga trailer e pôster oficiais de “A Caminho da Lua” Netflix divulga trailer e pôster oficiais de “A Caminho da Lua”
© 2020 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.