Crítica: “Scooby! O Filme”

Se alguém lhe propuser citar personagens clássicos dos desenhos animados, existe uma grande possibilidade de títulos do Estúdio Hanna-Barbera, incluindo Scooby-Doo figurar em sua lista mental.

O divertido cachorro foi apresentado ao público em 1969 com a série “Scooby-Doo, Cadê você?” (Scooby Doo- Where are you!) e, desde então, já protagonizou inúmeras produções, tanto no cinema quanto na televisão, passando por games e títulos produzidos em DVD.

A mais recente é “Scooby! O Filme” (Scoob), inicialmente prevista para estrear nas telonas, mas que, devido à pandemia de Covid-19, teve seu lançamento direto em plataformas de Video on Demand e está disponível no Brasil a partir de hoje, 06 de agosto.

Na trama, vemos o primeiro encontro entre Scooby (voz de Frank Welker) e seu fiel parceiro de aventuras, Salsicha (Will Forte), quando os dois ainda eram pequenos e precisavam de alguém com quem contar. Também acompanhamos a formação da Agência Mistério S/A, em plenos festejos de Halloween, com a inclusão dos amigos Daphne (Amanda Seyfried), Velma (Gina Rodriguez) e Fred (Zac Efron) e confirmamos a informação de que o grupo sempre foi eficiente.

Após uma passagem de tempo, os personagens já ganham a aparência conhecida que consegue encontrar o equilíbrio perfeito entre o moderno e o sempre bem-vindo estilo tradicional – o que conta muito para um resultado que, felizmente, é muito satisfatório.

Embora a narrativa não tenha como cerne a habitual aparição de fantasmas “fajutos” – o que dá o tom à grande maioria das aventuras dos famosos amigos – ela consegue entreter do início ao fim e conta com momentos de muita inspiração.

Ampliando o número dos que lutam pela justiça, três nomes são incluídos na história: a memorável dupla formada por Falcão Azul (Mark Wahlberg) e Dinamite – O Bionicão (Ken Jeong), além da muito inteligente Dee Dee Skyes (Kiersey Clemons). Caberá a eles – junto a Scooby e Salsicha (que temporariamente se separam dos demais membros da Mistério S/A) resolver os problemas.

Pelo lado da vilania, quem dá as caras é também um icônico nome das animações clássicas: Dick Vigarista (Jason Isaacs), que segue roubando – em sentido literal – a cena e se mantém como um dos vilões mais emblemáticos das animações.

O grande destaque do longa é a imensa qualidade visual e o respeito pela obra original – percebido na maior parte do tempo. Os fãs de longa data não terão dificuldades em encontrar inúmeros easter-egss espalhados pela história, que farão várias crianças interiores se empolgarem com o aguardado retorno do dog alemão mais famoso da indústria do entretenimento.

Imperdível.

por Angela Debellis

*Título assistido via plataforma de Video on Demand .

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

“Desafio Change the Game” amplia o período de inscrições até o Dia Internacional da Mulher “Desafio Change the Game” amplia o período de inscrições até o Dia Internacional da Mulher
Paris Filmes adia a estreia de “Mundo em Caos” Paris Filmes adia a estreia de “Mundo em Caos”
Disney Channel, Disney Junior eDisney XD recebem Março com estreias e especiais Disney Channel, Disney Junior eDisney XD recebem Março com estreias e especiais
Netflix confirma o início da produção de “Rebelde” Netflix confirma o início da produção de “Rebelde”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.