Crítica: “Tudo pela minha filha”

Embora haja uma infinidade de teorias – cada vez mais frequentes e numerosas, até mesmo graças à facilidade com as pessoas conseguem dar opiniões hoje em dia – no mundo real continua sendo uma tarefa bastante complicada definir até que ponto determinadas ações podem ser justificadas em nome do amor.

É sobre esta delicada base que se apoia a trama de “Tudo pela minha filha” (Desperate Love / Losing Lerato), drama sul-africano que chega ao Cinema Virtual e cumpre à risca o que é necessário para emocionar o espectador.

A narrativa nos apresenta o jovem Thami (Kagiso Modupe) e sua luta para poder ver a filha Lerato (Tshimolo Modupe), uma vez que sua ex-esposa Noluthando (Samela Tyelbooi) o impede de chegar perto da menina. O fato de mãe e filha agora viverem sob o teto de um influente político local contribui para que o protagonista seja barrado de forma ainda mais contundente em qualquer tentativa que faça de se aproximar.

Inconformado com a situação, Thami toma uma decisão extrema: levar Lerato embora, sem a permissão de sua mãe, o que imediatamente é configurado como sequestro e coloca a dupla sob a mira da polícia, que os encontra durante uma viagem de ônibus que os conduziria para fora da cidade.

A partir daí, o drama roteirizado por Ricardo Arenose basicamente se desenrola tendo como cenário o interior do ônibus, onde Thami mantém a filha e os passageiros como reféns. À frente das negociações está a detetive Nkala (Nolo Phiri), cujos flashbacks com cenas de sua conturbada infância mostram a razão de ela ter enveredado para a categoria de resolução de crimes violentos.

Ainda falando em flashbacks, é através da narração de fatos passados que passamos a entender boa parte da história, principalmente no que diz respeito ao relacionamento de Thami e Noluthando. Entre mentiras e omissões, há descobertas impactantes e até mesmo desoladoras, que além de prender a atenção, deverão comover o público.

Dirigido por Sanele Zulu, o longa não romantiza nenhuma sequência, tudo é muito cru e pungente. A dor, a angústia e as dúvidas que cerceiam o coração do protagonista, as tomadas de decisões irrevogáveis, a percepção de que muito do que foi vivido poderia ter sido evitado, tudo é apresentado de forma clara e sincera, o que faz com que o filme seja tão incômodo quanto comovente.

O grande trunfo da produção está nos detalhes: na tocante cena do banheiro, em um inesperado pedido de oração, na validação de uma inevitável espera. Acredite: esse parágrafo fará um sentido imenso quando você assistir ao drama.

Prepare-se para lágrimas e reflexões. Vale a pena conferir.

Curiosidade: Os intérpretes de Thami e Lerato são pai e filha na vida real.

por Angela Debellis

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

“Amor, Sublime Amor” ganha vídeo com conteúdo especial “Amor, Sublime Amor” ganha vídeo com conteúdo especial
“G.I. Joe Origens: Snake Eyes” tem novo featurette divulgado: “Filmando no Japão” “G.I. Joe Origens: Snake Eyes” tem novo featurette divulgado: “Filmando no Japão”
Netflix divulga trailer oficial de La Casa de Papel Parte 5: volume 1 Netflix divulga trailer oficial de La Casa de Papel Parte 5: volume 1
Nickelodeon divulga categorias e indicados da 22ª edição do Meus Prêmios Nick Nickelodeon divulga categorias e indicados da 22ª edição do Meus Prêmios Nick
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.