Direto da Toca: Conversamos com Fefê Torquato e Sidney Gusman sobre “Tina – Respeito”

Crédito: Victória Profirio

Na tarde de ontem, 13 de setembro, participamos de um bate-papo superdescontraído com a ilustradora Fefê Torquato e o jornalista Sidney Gusman – um dos maiores conhecedores de quadrinhos do Brasil – sobre o lançamento da 24ª edição da Graphic MSP: “Tina – Respeito”.

A editora Panini Comics fez o lançamento oficial da Novel na Bienal do Livro que acorreu no Rio de Janeiro entre os dias 30 de agosto e 08 de setembro. O sucesso foi tamanho que a edição se esgotou nos primeiros dias do evento.

A HQ traz a já conhecida criação de Mauricio de Sousa, Tina, repaginada com os traços aquarelados de Fefê, porém respeitando as raízes da personagem que surgiu em meados da década de 1960 e desde sempre se mostrou antenada no que está acontecendo no momento, incluindo a defesa aos direitos das mulheres. Então, “Tina – Respeito” chega falando de algo muito importante e atual: assédio – neste caso, no ambiente de trabalho.

Sidney contou que a ideia do projeto existe há aproximadamente três anos, porém ele sabe da importância de uma história sobre mulher ser contada por uma mulher. Por sua vez, Fefê relembrou quando foi convidada para dar vida à Tina: “Ele (Sidney) me procurou para fazer a arte, mas eu já estava há dois anos sem fazer quadrinhos, eu queria fazer o roteiro”.

A artista contou que é feminista desde que entendeu o que o feminismo representa (isso quando ainda era criança) e que em “Tina – Respeito” ela queria contar a história da personagem principal, porém tinha algumas ressalvas: “A Tina é uma garota bonita, magra, branca, de família com pai e mãe, mas a história de uma pessoa nunca é só dela, então comecei a pensar no que a Tina não sofre”.

Crédito: Carla Mendes

Quanto ao fato de incluir outros personagens com vidas diferentes e que passaram por outros tipos de assédios e preconceitos, Fefê afirmou que todo mundo que ler o quadrinho vai se sentir representado em algum momento. Ela concluiu sobre a necessidade de representatividade para o maior número possível de histórias.

É importante lembrar que quando foram divulgados a capa e o título da obra, houve burburinhos na Internet sobre a construção de uma personagem feminista e sobre uma possível descaracterização, o que não é um fato muito preciso, uma vez que a versão de Tina trazida na HQ é muito semelhante à primeira dos anos 1970.

Sidney, que foi só elogios ao trabalho de Fefê, deixou um recado aos leitores: “Prestem muita atenção aos rostos, às expressões faciais. Estão espetaculares!”.

Os exemplares estão disponíveis em duas versões: com capa cartonada e capa dura, e podem ser adquiridos em lojas on-line e físicas. Nossa resenha completa você confere em breve aqui no site.

por Carla Mendes – especial para A Toupeira

Filed in: Direto da Toca, Quadrinhos

You might like:

Editora Skull lança “Até que a Morte nos ampare” Editora Skull lança “Até que a Morte nos ampare”
Museu da Imagem e do Som promove maratona de filmes de terror Museu da Imagem e do Som promove maratona de filmes de terror
Robert Downey Jr. é destaque em vídeo de teste de elenco de “Dolittle” Robert Downey Jr. é destaque em vídeo de teste de elenco de “Dolittle”
Elton John está em êxtase com ‘Rocketman’ no Globo de Ouro Elton John está em êxtase com ‘Rocketman’ no Globo de Ouro
© 2019 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.