Direto da Toca: Fomos à Coletiva de Imprensa de “A Vida Invisível”

Na manhã de hoje, 18 de outubro, participamos da sessão exclusiva para imprensa e à tarde da coletiva esclarecedora sobre as expectativas da produção e elenco de “A Vida Invisível”.

À noite, acontecerá no Theatro Municipal de São Paulo a premier do filme dirigido por Karim Aïnuoz e estrelado por Fernanda Montenegro, Carol Duarte, Julia Stockler e Gregório Duvivier. O longa escolhido para representar o Brasil na candidatura ao Oscar 2020 na categoria “Melhor Filme Estrangeiro” será apresentado na 43ª Mostra Internacional de Cinema.

O drama que teve sua estreia alterada para ao dia 21 de novembro – focando na campanha para o Oscar – é uma adaptação do livro de Martha Batalha “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão” e retrata o amor de duas irmãs que foram separadas e tornadas “invisíveis” pelo machismo predominante nos anos de 1950, e a partir disto uma busca silenciosa e dolorosa pelo reencontro.

“Um folhetim de rasgar o coração”, foi como Karim definiu a obra. Ele também contou como foi a sensação de reconstruir a década de 1950, afirmando que quando se faz um filme de época é um pouco fabular e completou dizendo que os homens mudaram pouco de daquela época até agora.

Fernanda Montenegro foi um espetáculo à parte: cheia de elogios aos colegas de elenco, à produção e ao diretor. “O filme não é contra o macho é contra o “machão”, disparou sobre a crítica social presente no roteiro. Podemos definir o “machão” como homem opressor, machista.

Quando foi questionada sobre sua inspiração, a atriz – que completou 90 anos na última quarta-feira (16) e é referência na dramaturgia nacional – deixou claro que seu maior estímulo é estar viva. “Na minha idade ainda possuo fôlego e ainda me convidam para participar de um filme como esse, eu ainda existo”, concluiu.

Outro assunto muito comentado durante a coletiva foram os “fantasmas” que cercam o audiovisual e a cultura nesse momento. “Quando se tem pessoas mal educadas a gente contesta elas com educação e arte. O cinema não para, ele sobrevive!”, disse Rodrigo Teixeira ao mostrar seu posicionamento sobre o tema. Com um orçamento de quase 7 milhões de reais a produção contou com poucos parceiros/patrocinadores.

“A Vida Invisível” representa o grande momento que o cinema nacional vive, pois, por mais que haja contratempos e ameaças, vemos produções dos mais variados gêneros montadas de maneira excelente. “Há exuberância e diversidade, é vibrante e temos a cada ano filmes melhores e maiores criativamente”, afirmou Karim em relação às obras do nosso país.

Confira nossa Crítica Completa na data de estreia.

Crédito das fotos: Carla Mendes.

por Carla Mendes – especial para A Toupeira

Filed in: Cinema, Direto da Toca

You might like:

Editora Luz da Serra lança “Minuto da Gratidão” Editora Luz da Serra lança “Minuto da Gratidão”
Estrelada por Renée Zellweger, cinebiografia de Judy Garland ganha primeiro trailer Estrelada por Renée Zellweger, cinebiografia de Judy Garland ganha primeiro trailer
Crítica: “A Grande Mentira” Crítica: “A Grande Mentira”
Crítica: “O Reino Gelado: A Terra dos Espelhos” Crítica: “O Reino Gelado: A Terra dos Espelhos”
© 2019 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.