Nat Geo apresenta três documentários sobre o Monte Everest

 

A National Geographic tem um longo histórico de viagens ao Monte Everest para pesquisar, observar e contar histórias poderosas e vanguardistas apesar dos riscos isto implica. Desde 1933, quando a revista publicou um artigo sobre o primeiro voo sobre a montanha até a primeira concessão da National Geographic Society à região em 1948 e a primeira transmissão de televisão da National Geographic em 1965 – que mostrava imagens filmadas do Everest pela primeira vez na história – a exploração desta montanha pela National Geographic é incomparável.

Continuando seu rico legado de exploração do Everest com acesso sem precedentes por renomados exploradores, cientistas, fotógrafos e cineastas, a National Geographic se aventura a escalar o pico mais alto na próxima terça, 14 de julho, a partir das 18h, para combinar alpinismo com narrativa cinematográfica em dois lançamentos originais: Expedição Everest e Perdido no Everest. Logo em seguida, às 19h30 o canal também exibirá o documentário Pesadelo no Everest, produzido e dirigido pela britânica nomeada ao BAFTA, Karen McGann.

Expedição Everest

Expedição Everest acompanha uma equipe internacional de cientistas, alpinistas e contadores de histórias até o topo do pico mais alto do mundo para realizar a expedição científica mais completa da história no Monte Everest.

O especial de uma hora, narrado pelo ator Tate Donovan na versão em inglês registra investigações meteorológicas pioneiras que são de importância crucial para entender as mudanças pelas quais a montanha está passando em suas geleiras, e lança luz sobre os perigos que essas mudanças podem causar nas comunidades que vivem ao pé da montanha. A missão inovadora registra o drama que a equipe dedicada e experiente da expedição enfrentou e revela os perigos e motivações que levam aqueles que arriscam suas vidas a descobrir os segredos do Everest.

A National Geographic acompanha a equipe, com membros de oito países, metade dos quais são do Nepal, na escalada da montanha, realizando pesquisas valiosas ao longo do caminho:

Nos vales ao redor do Everest, os geólogos mergulham em águas geladas para coletar amostras de sedimentos do fundo de um lago criado pelo derretimento de geleiras no Himalaia.

Nas regiões ao redor do acampamento base do Everest, os biólogos realizam estudos abrangentes de biodiversidade em vários níveis de elevação para revelar como plantas, animais e insetos estão se adaptando a temperaturas mais quentes.

Estudando de cima a famosa e notoriamente traiçoeira cascata de gelo Khumbu, uma equipe de geógrafos registra imagens de alta resolução de toda a geleira Khumbu, que se estendem do acampamento base até a face sul da montanha.

No col sul do monte Everest, onde ocorrem os ventos mais fortes e as temperaturas mais baixas das montanhas, os climatologistas procuram gelo de milhares de anos e coletaram a amostra de gelo que foi extraída em altitudes mais altas até data para obter novas informações sobre a evolução da geleira.

Na “zona da morte”, acima de 7.900 metros, a equipe enfrenta não apenas condições extremas, mas também uma multidão perigosa de pessoas para instalar a estação meteorológica mais alta do mundo, que fornece dados quase em tempo real no topo das condições climáticas do mundo.

Expedição Everest dá uma visão dos bastidores da expedição da National Geographic e do Rolex Everest Perpetual Planet, parte de uma iniciativa da National Geographic e da Rolex para divulgaros perigos enfrentados por sistemas críticos de suporte à vida na Terra através da ciência, exploração e narrativa.

Combinando a história de exploração compartilhada com a narrativa científica da National Geographic e Rolex, a parceria ilustra os impactos das mudanças climáticas em nosso planeta e ajuda a equipar as comunidades com ferramentas para reforçar sua resiliência.

Produção da National Geographic Studios, com Christine Weber como produtora executiva, Katie Bauer Murdock como produtora e Katherine Chivers como produtora associada.

Perdido no Everest

Perdido no Everest investiga um dos mistérios mais intrigantes da exploração: o que aconteceu com os grandes exploradores Andrew “Sandy” Irvine e George Leigh Mallory, que desapareceram em 08 de junho de 1924, quando tentavam chegar pela primeira vez ao topo do Everest? As pistas para resolver esse mistério estão congeladas em algum lugar perto do cume da montanha mais alta do mundo.

O especial de uma hora é liderado pelo alpinista e aventureiro Mark Synnott, juntamente com o fotógrafo e alpinista da National Geographic, Renan Ozturk. Eles são acompanhados por uma equipe de renome mundial de alpinistas profissionais com mais de 100 anos combinados de experiência nas montanhas.

Juntos, eles decidiram encontrar o corpo do pioneiro do Everest, Irvine, resolver o mistério de seu desaparecimento e determinar conclusivamente quem era quem conquistou a montanha mais alta do mundo, uma façanha que reescreveria a história do alpinismo.

Embora o objetivo principal fosse localizar o corpo e a câmera de Irvine – o cadáver de Mallory foi encontrado em 1999 – os membros da expedição também se viram inconscientemente lutando por suas vidas enquanto cumpriam sua missão e enfrentavam obstáculos terríveis, dentre os quais vale ressaltar:

Condições climáticas extremas: os membros da equipe combatem ventos com força de furacão de mais de 150 km/h, explodindo tendas pelo ar e arrastando alpinistas a poucos centímetros do lado da montanha.

Aglomeração: como ventos fortes e baixas temperaturas limitam a janela de tempo para escalar a montanha por alguns dias, o cume é inundado com mais de 250 alpinistas, tornando-a uma das estações de escalada mais perigosas da história.

Riscos em altas montanhas: O frio extremo combinado com a altitude elevada cria complicações muito perigosas para dois membros da equipe. Um operador de câmera desenvolve coágulos sanguíneos nos pulmões e outro alpinista sofre um pequeno derrame, forçando os dois a deixar a montanha resgatada pelo pessoal médico de emergência.

Perdido no Everest apresenta imagens espetaculares nunca vistas antes filmadas com drones de grande altitude e novas pesquisas do principal historiador do Everest Tom Holzel, que usa software de última geração para descobrir detalhes fotográficos. Como parte da expedição, Ozturk tirou uma extraordinária fotografia panorâmica de 360 graus do Monte Everest, publicada na revista National Geographic em 2019.

Produção executiva da National Geographic por Taylor Rees e Renan Ozturk, que também é o diretor, com a produção de Drew Pulley. Para a National Geographic, os produtores executivos são Bengt Anderson e Alan Eyres, vice-presidente sênior de produção e desenvolvimento.

Pesadelo no Everest

Pesadelo no Everest conta a emocionante história de pessoas que ficaram presas no Himalaia após um terremoto que atingiu o Nepal. Em abril de 2015, um violento terremoto atingiu o país, provocando deslizamentos de terra e avalanches mortais no Himalaia. Este programa, feito com filmagens feitas por pessoas que estavam lá, conta a história de alpinistas e trekkers presos em cantos remotos das montanhas. O que deveria ter sido a viagem de uma vida rapidamente se tornou um pesadelo. Quem viveu e quem morreu foi uma questão de sorte.

da Redação A Toupeira

Filed in: TV

You might like:

Studio Universal exibe clássicos dos anos 1980 e 1990 em agosto Studio Universal exibe clássicos dos anos 1980 e 1990 em agosto
Transformers se juntam às batalhas de World of Warships Transformers se juntam às batalhas de World of Warships
Personagens do Castelo Rá-Tim-Bum mostram que pode ser divertido arrumar a casa Personagens do Castelo Rá-Tim-Bum mostram que pode ser divertido arrumar a casa
Looke oferece Promoção de Amigo e da saga Harry Potter Looke oferece Promoção de Amigo e da saga Harry Potter
© 2020 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.