Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta a mostra “Rock Terror”

O CCBB São Paulo sedia a mostra Rock Terror – mostrando que os dois gêneros se fundem na telona e transcendem os roteiros de cinema. De 25 de outubro a 13 de novembro serão exibidos 38 filmes, entre ficção e documentários, capazes de mostrar os mais variados aspectos dessa vertente que tem fãs em todo mundo, além de uma masterclass do curador, jornalista, pesquisador, documentarista e crítico de cinema Mário Abbade. O evento teve início em Brasília, de 13 a 31 de outubro. A entrada é gratuita.

Filme: O Fantasma do Paraíso

A mostra tem a missão de trazer luz a um subgênero iniciado no final dos anos 1970, quando se vendia o mito de que muitas bandas antes da fama faziam um pacto com o diabo para atingir o sucesso. Lendas à parte, reunir esses filmes sob um olhar apurado é uma forma provocar reflexão sobre o que de fato aconteceu com a realização cinematográfica desse estilo: produções de baixo orçamento, humor involuntário, possessões demoníacas sofríveis, efeitos especiais toscos e cenas propositalmente apelativas em relação a violência e sexo. No dia 03 de novembro haverá uma masterclass com o curador Mário Abbade, um especialista no tema.

“Esse subgênero que juntou o rock e o terror surgiu como mais uma contribuição para a cultura pop. E muitos foram os países que aderiram a esse sucesso, como Japão, Alemanha, Índia, França, Inglaterra, EUA, Tailândia e Brasil”, diz Abbade. Serão exibidos na mostra 38 filmes (31 deles de ficção e sete documentários), capazes de mostrar os mais variados aspectos dessa vertente. Entre os filmes raros que serão exibidos, um exemplo é “Turnê assassina” (1980), de Don Edmonds, só lançado em VHS nos EUA na época e atualmente fora de catálogo.

O cardápio da programação está repleto de grandes e importantes referências. “A Maldição da aranha”, filme americano de 1958, é um dos pioneiros a unir rock e terror e que ilustra bem a diversidade do gênero, em uma época em que o rock era um fenômeno – o longa combinou o som dos anos 1950 com temas comuns daquela época.

Outro que merece destaque é “O Fantasma do Paraíso” (1974), do reconhecido diretor Brian de Palma, que se cerca de referências da literatura como ‘O Fantasma da Ópera’ , ‘Fausto’ e ‘O retrato de Dorian Gray’. “De Palma conseguiu traçar um painel irônico da indústria fonográfica, incluindo os elementos incluindo os elementos: grandes gravadoras, artistas vendendo suas almas (literalmente), drogas e sexo”, avalia o curador.

Filme: Vampirella

Há representantes não menos importantes que fizeram história e a alegria dos admiradores dos filmes de horror e do rock. O filme “Uma noite de horror” (1984), uma coprodução entre EUA, Espanha e Porto Rico, dirigida pelo italiano Claudio Fragasso, teve o ícone do rock Alice Cooper como protagonista. Roger Daltrey, da banda The Who, foi o vilão em “Vampirella”, de 1996. A lista segue com “A rainha dos condenados” (2002), “Repo! The genetic opera” (2008) e “Suck” (2009) – este com um super elenco com Alice Cooper, Iggy Pop, Henry Rollins, Moby e outros ícones da música internacional, com trilha inspirada em David Bowie e Velvet Underground. Da produção brasileira, a mostra vai exibir “As sete vampiras” (1986), de Ivan Cardoso, com Léo Jaime tocando rock nacional.

Também serão exibidos documentários do antropólogo canadense San Dunn e outras produções que mostram que a realidade do heavy metal está muito além de seu estereótipo, algo que já foi alvo de estudos como o do pesquisador britânico Stuart Cadwallader, que descobriu que o gênero era o preferido dos superdotados da The National Academy for Gifted and Talented Youth at the University of Warwick.

“Por esse motivo, foram escalados mais quatro documentários, que investigam e traçam as origens do heavy metal e suas derivações, por ser o estilo que mais bebe da fonte pacto com o demônio e sucesso. Também serão exibidas animações: as duas produções criadas a partir dos quadrinhos para adultos da revista “Heavy Metal”, que usa temas como ficção científica e fantasia como fundo para suas histórias”, conta Abbade.

Apesar de esse estilo ter tido seu auge entre os anos 1980 e 1990, até hoje se produzem filmes relativos a esse universo. A mostra conta ainda com os recentes “Deathgasm”, de Jason Lei Howden, “Sala verde” (Green Room), de Jeremy Saulnier, e “The devil’s candy”, de Sean Byrne, todos os três produções de 2015.

Homenagem

Rock Terror ainda contará com homenagem ao cineasta John Fasano e ao cantor e fisiculturista (entre outras coisas) Jon Mikl Thor. Fasano está presente nos filmes “Black roses” (diretor), “Zombie nightmare” (assistente de direção e roteirista) e “Entrada para o inferno” (diretor).  Jon Mikl Thor, mais conhecido como Thor, é a estrela de “Zombie nightmare”, e escreveu e atuou em “Entrada para o inferno”, além de atuar no descartado “Intercessor”, mas, em compensação, na mostra será exibido o interessante documentário “I am Thor”, que conta as aventuras e desventuras do cantor e fisiculturista no show business.

Serviço:

Mostra Rock Terror

De 25 de outubro a 13 de novembro. Diariamente (exceto ás terças-feiras) das 9h às 21h

CCBB São Paulo – Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo-SP (Acesso ao calçadão pelas estações Sé e São Bento do Metrô)

(11) 3113-3651/3652

Bilheteria – Térreo: Ingressos para o cinema são vendidos apenas na bilheteria, no dia da sessão. Horários: consultar programação. Classificação: consultar programação por sessão

Entrada Gratuita – com senhas distribuídas 1 hora de antecedência ao início da sessão, havendo o limite de uma senha por pessoa

Cinema: 70 lugares

ccbbsp@bb.com.br / www.bb.com.br/cultura / www.twitter.com/ccbb_sp / www.facebook.com/ccbbsp / www.instagram.com/bancodobrasil

Acesso e facilidades para pessoas com deficiência / Ar-condicionado / Cafeteria e Restaurante / Loja (Clientes do Banco do Brasil têm 10% de desconto com Cartão Ourocard na cafeteria, restaurante e loja)

Estacionamento conveniado: Estapar (Rua Santo Amaro, 272). Valor: R$ 15 pelo período de 5 horas. É necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB.

Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô

Informações pelo telefone (11) 3113-3651

da Redação A Toupeira

Filed in: Cinema, Saia da Toca

You might like:

Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono
Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais
Crítica: “Evidências do Amor” Crítica: “Evidências do Amor”
Crítica: “A Paixão segundo G. H.” Crítica: “A Paixão segundo G. H.”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.