Crítica: “As Golpistas”

Começo este texto dizendo que Jennifer Lopez está simplesmente maravilhosa dando vida à personagem Ramona em “As Golpistas” (Hustlers). Sem dúvidas, ela é a estrela mor da produção roteirizada e dirigida por Lorene Scafaria.

O longa conta a história de como um grupo de strippers decidiu sobreviver à crise que desestruturou os Estados Unidos a partir de 2008. Somos conduzidos pelas memórias de Destiny (Constance Wu), enquanto ela dá uma entrevista à jornalista Elizabeth (Julia Stiles).

Por meio destas lembranças, conhecemos Ramona, que é a mestra, a inspiração, o sonho de carreira para Destiny – as duas criam um laço quase maternal logo nas primeiras cenas. É nessa parte inicial que são desenvolvidos os motivos, as razões emocionais que levam cada uma delas a este trabalho que lhes rendem status e glamour.

A partir da crise, o perfil das strippers e dos clientes muda, assim como os serviços oferecidos. O prestígio de Ramona e seu esquadrão já não é mais o mesmo, as garotas são consideradas velhas, e é nesse ponto que elas se juntam e começam a aplicar golpes em homens ricos de Wall Street.

A escolha de elenco também foi muito assertiva: além de J. Lo e Constance, a produção conta com nomes como Keke Palmer e Lili Renhart. Também há a participação especial de Cardi B: ela interpreta Diamond, uma stripper um tanto quanto ousada – o que não sai fora da zona de conforto da rapper. Lizzo também dá vida a uma dançarina.

Vale lembrar que o filme se passa em Nova York e oferece apenas um reflexo da cidade afetada pela crise. A partir da ótica das protagonistas, descobrimos o tipo de homens que abordavam e é assim que enxergamos suas motivações para as ações.

 “As Golpistas” é um título dirigido e estrelado por mulheres e tem uma visão muito particular: por mais que seja recheado de sensualidade, golpes e até crimes, é sensível e extremamente divertido.

Fica impossível julgar cada uma das personagens ali expostas, talvez porque o motivo pelo qual cada uma chegou até aquele ponto tenha sido construído muito bem, há certo apego e sororidade.

O drama biográfico é uma deliciosa opção, vale muito conferir.

por Carla Mendes – especial para A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

Para quem ama investigação: cinco séries de espionagem disponíveis na Max Para quem ama investigação: cinco séries de espionagem disponíveis na Max
Dubladores de Chiquinha e Seu Madruga participam de painéis do Dia do Orgulho Nerd Dubladores de Chiquinha e Seu Madruga participam de painéis do Dia do Orgulho Nerd
“Frankenstein”, clássico de 1931, ganha sessão gratuita com debate científico no MIS “Frankenstein”, clássico de 1931, ganha sessão gratuita com debate científico no MIS
Direto das Toca: Conhecemos a Exposição “Corpo Humano” Direto das Toca: Conhecemos a Exposição “Corpo Humano”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.