Crítica: “Evidências do Amor”

Algumas músicas não só se tornam referências em seus gêneros, como ultrapassam as barreiras que separam os gostos pessoais, para alcançarem alto grau de popularidade entre o público em geral.

É o caso de “Evidências”, composição de José Augusto e Paulo Sérgio Valle, que ganhou fama nas vozes da dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó. Com dezenas de versões gravadas – em outros ritmos e idiomas – a canção e seus icônicos versos são facilmente reconhecidos e marcam presença na lista de opções de qualquer karaokê que se preze.

Com essa premissa em mãos, “Evidências do Amor” chega aos cinemas, nos apresentando a médica Laura (Sandy Leah) e o desenvolvedor de aplicativos Marco Antônio (Fabio Porchat). O casal, que se conhece justamente em um karaokê, passa a ter a aclamada música como tema de seu relacionamento.

Três anos se passam, com todos altos e baixos típicos de quem decide assumir um compromisso com a pessoa amada, até que Laura percebe que não quer dar continuidade à história escrita ao lado de seu namorado – com quem, inclusive, já mora junto.

A decisão se dá pouco após o pedido de casamento feito a ela, o que deixa Marco Antônio ainda mais perdido e sem entender o motivo que levou ao término e ao drástico afastamento do casal.

Um ano depois e com a nova rotina de homem descompromissado (mas ainda apaixonado) estabelecida à força, ele ainda tentar compreender o que houve de errado. Para isso, recorre à Júlia (Evelyn Castro), síndica do prédio em que vive e com quem mantém uma amizade que lhe permite desabafar (e ouvir constatações que vão tirar boas risadas dos espectadores).

É quando descobre um fato, no mínimo, inusitado: todas as vezes que ele ouve qualquer mínimo trecho de “Evidências”, cai em uma espécie de transe, que transporta sua consciência para momentos vividos ao lado de Laura, em uma progressão que faz com que a narrativa ganhe profundidade a cada nova imersão nas memórias do personagem.

A gradativa percepção de que talvez a ruptura não tenha sido uma coisa tão inesperada, que havia indícios deixados de lado em nome da comodidade que julgamos alcançar quando encontramos alguém com quem queremos passar o resto de nossas vidas, faz com que Marco Antônio procure formas de restaurar a relação com Laura. Mas, as coisas não serão tão fáceis assim.

Dirigido por Pedro Antônio Paes (que também escreve o roteiro junto a Álvaro Campos e Luanna Guimarães), “Evidências do Amor” tem os elementos clássicos das boas comédias românticas, aquelas que fazem a gente sorrir sem perceber e que dão o famoso quentinho no coração, sem apelar para nada além do amor (romântico, familiar ou entre amigos) e tudo que o sentimento traz às nossas vidas.

As interpretações estão impecáveis. Fábio Porchat e Evelyn Castro brilham como dupla de comediantes que já conhece os pontos fortes um do outro e os traz à tona da maneira mais natural possível. Bom texto e uma franca disposição para abraçar o ridículo de algumas situações fazem com que eles se destaquem em todas as sequências em que atuam juntos.

Por sua vez, Sandy assume o papel com tanta verdade, que é impossível imaginar outra atriz interpretando Laura. Existe uma inesperada química entre os protagonistas, que oferece ao público a oportunidade não só de assistir, mas também torcer pelo sucesso dos personagens, conforme o desenrolar dos fatos.

O longa conta com uma participação especial rápida e maravilhosa do cantor José Augusto (vista em parte no trailer oficial) – ainda mais porque conseguiu inserir na trama um meme antigo, mas que ainda consegue divertir quem o entender.

Obviamente, quem já for fã prévio de “Evidências” vai curtir muito mais a produção, já que trechos dela são executados diversas vezes. O que significa que, é bem provável que, ao sair da sala de cinema, você se pegue cantarolando algum verso da canção e muito tentado a pedir para seu dispositivo Alexa (que faz sua estreia nas telonas) tocá-la na íntegra, quem sabe, enquanto relembra alguma história de amor que também poderia virar filme.

Vale muito a pena conferir.

por Angela Debellis

*Título assistido em Cabine de Imprensa promovida pela Warner Bros. Pictures.

Filed in: Cinema

You might like:

Panini divulga o catálogo da DC para agosto Panini divulga o catálogo da DC para agosto
Telecine Cult exibe especiais “Dia do Cinema Brasileiro”, “Orgulho LGBTQIAPN+” e homenageia Sonia Braga Telecine Cult exibe especiais “Dia do Cinema Brasileiro”, “Orgulho LGBTQIAPN+” e homenageia Sonia Braga
MOL Impacto e Petz: HQ vai beneficiar projeto no Sertão Nordestino e organizações ligadas à causa animal MOL Impacto e Petz: HQ vai beneficiar projeto no Sertão Nordestino e organizações ligadas à causa animal
MUBI celebra o Mês do Orgulho LGBTQIA+ com eventos gratuitos em São Paulo MUBI celebra o Mês do Orgulho LGBTQIA+ com eventos gratuitos em São Paulo
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.