Crítica: “O melhor está por vir”

Com um humor francês afiado e ao mesmo tempo crítico, “O melhor esta por vir” (Le meilleur reste à venirse) chega aos cinemas brasileiros sob a forma de uma comédia divertida e engraçada, mesmo tratando de um tema tão triste como o diagnóstico de um câncer.

A trama do filme se inicia quando César (Patrick Bruel), um sujeito impulsivo e inconsequente, acidentalmente cai de sua sacada e busca a ajuda de seu amigo neurótico e metódico, Arthur (Fabrice Luchini) que tem formação em medicina.

Passando-se por Arthur para não pagar o plano de saúde, César faz uma radiografia e, por meio dela, o médico descobre que seu amigo esta com câncer terminal. Sem saber como revelar a verdadeira situação, Arthur explica o diagnóstico de forma confusa, o que leva César a acreditar que na verdade quem está com câncer é seu amigo doutor.

Em meio a essa confusão, temos um desenvolvimento sensível e divertido da trama. O humor em certos momentos é exagerado, porém esse é um pequeno deslize dentre tantas situações eficazes que o longa apresenta, e em grande parte o humor da película só funciona pela química que tem entre os dois protagonistas.

César e Arthur são completamente opostos, o que torna sua amizade improvável aos olhos de qualquer um. Entretanto, ao se depararem com a mortalidade do outro, passamos a enxergar como essa relação é importante para ambos.

No decorrer da narrativa, vemos os personagens fazendo o que mais gostam, colocando-se em situações inusitadas e, principalmente, enfrentando seus medos para cumprir o que acham ser o ultimo desejo de seu melhor amigo.

Dirigida e roteirizada por Matthieu Delaporte e Alexandre De La Patellière, a comédia dramática não tenta reinventar a roda. Já vimos alguns longas hollywoodianos com tramas semelhantes (envolvendo diagnósticos de câncer), como por exemplo, “Fanboys”, “Antes de Partir” e até mesmo “A Culpa é das Estrelas”.

Porém, o humor francês que em muitos momentos lembra “Intocáveis”, dá um tempero diferenciado a esse prato tão comum. Pode-se dizer que “O melhor esta por vir” é um “feijão com arroz” dos títulos de doença terminal, mas é tão bem feito, que dá gosto de saborear.

por Marcel Melinsky – especial para A Toupeira

*Filme assistido durante Cabine de Imprensa promovida pela Paris Filmes.

Filed in: Cinema

You might like:

Para quem ama investigação: cinco séries de espionagem disponíveis na Max Para quem ama investigação: cinco séries de espionagem disponíveis na Max
Dubladores de Chiquinha e Seu Madruga participam de painéis do Dia do Orgulho Nerd Dubladores de Chiquinha e Seu Madruga participam de painéis do Dia do Orgulho Nerd
“Frankenstein”, clássico de 1931, ganha sessão gratuita com debate científico no MIS “Frankenstein”, clássico de 1931, ganha sessão gratuita com debate científico no MIS
Direto das Toca: Conhecemos a Exposição “Corpo Humano” Direto das Toca: Conhecemos a Exposição “Corpo Humano”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.