Crítica: “Rainha de Copas”

“Rainha de Copas” (Dronningen/Queen of Hearts) é uma produção sueco-dinamarquesa criada com o objetivo de ser tão tentadora, quanto cruel. Dirigido por May el-Toukhy, o longa incita o espectador a explorar uma narrativa capaz de contestar os valores que pregamos.

Anne (Trine Dyrholm) é a representação de conquistas profissionais e pessoais que muitos almejam. Advogada renomada, ela é especialista em direitos da criança e do adolescente, além de mãe e esposa dedicada. Porém, nada parece bom o suficiente para suprir o vazio que transborda dentro de si.

Ao saber da chegada do enteado Gustav (Gustav Lindh), um adolescente problemático, Anne o aceita sem hesitação, e busca integrá-lo a sua dinâmica familiar. Quando compreende as necessidades afetivas do garoto, a madrasta permite que o sentimento de reciprocidade domine suas ações.

O filme brinca com espaços de tempo, além de fazer uso de uma fotografia pálida e inóspita. Essas combinações são usadas propositalmente para causar um cenário hipnotizante e ao mesmo tempo alertar para um desfecho impiedoso e eminente.

É interessante observar como a figura de madrasta é retratada na história: as condutas utilizadas pela protagonista para construir uma suposta afinidade familiar e amigável, são as mesmas que abrem espaço para que a relação incestuosa aconteça.

Trine Dyrholm realizou uma atuação impecável, com o decorrer da história é fácil nos depararmos com um misto de sentimentos sobre a personagem. Anne se desprende de seus pudores e sua vida perfeita, para se apropriar de aventuras sexuais com seu enteado, entretanto, nem tudo é o que parece.

O longa arquiteta uma premissa inteligente, relacionada à sensação de poder e domínio sobre futuras consequências. Gustav não é apenas mais um membro da família, ele é alguém que precisa ser descartado do jogo onde Anne reinava sozinha.

O drama que está disponível no Cinema Virtual tem como inspiração o mito de Fedra, além, é claro, de utilizar “Alice no País das Maravilhas” como sua maior referência. Para bom entendedor, um “Cortem as cabeças!”, já basta.

por Victória Profirio – especial para A Toupeira

https://www.youtube.com/watch?v=mmaTg4xjiYw

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes.

Filed in: BD, DVD, Digital

You might like:

Petlove celebra 25 anos com evento de adoção em nova loja conceito na Oscar Freire, em São Paulo Petlove celebra 25 anos com evento de adoção em nova loja conceito na Oscar Freire, em São Paulo
“Era imperativo para mim que tudo fosse feito do ponto de vista da Amy”, afirma roteirista de “Back to Black” “Era imperativo para mim que tudo fosse feito do ponto de vista da Amy”, afirma roteirista de “Back to Black”
Jeffrey Wright é confirmado no elenco da segunda temporada de “The Last Of Us” Jeffrey Wright é confirmado no elenco da segunda temporada de “The Last Of Us”
“Nove e Meia Semanas de Amor”: Clássico dos Anos 1980 volta aos cinemas em junho “Nove e Meia Semanas de Amor”: Clássico dos Anos 1980 volta aos cinemas em junho
© 8732 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.