Crítica: “Yesterday”

Existem três letrinhas que, quando juntas, formam uma expressão que tem em si toda uma carga de inerente reflexão: “E se”. A surpreendente trama de “Yesterday” (Yesterday) incita o público a pensar em como seria o mundo em que vivemos se uma das maiores bandas da história da música nunca houvesse existido. E se (olhas elas aí!) o mundo não tivesse conhecido The Beatles?

Apesar do roteiro de Richard Curtis girar em torno das canções dos quatro rapazes de Liverpool e ter cenas com icônicas melodias como pano de fundo, o longa dirigido por Danny Boyle não é um musical propriamente dito (muito menos um documentário), mas uma comédia romântica e, como tal, cumpre muito bem seu papel.

Jack Malick (Himesh Patel, ótimo) é um aspirante a estrela da música, cujas composições não conseguem alçar voos mais altos do que os palcos de pubs locais com plateias diminutas que não se importam com sua presença – exceção feita para seu fiel (e bem restrito) grupo de amigos que até tenta dar uma força, mas também não acredita de fato em seu potencial.

A única que demonstra interesse verdadeiro por seu trabalho e desejo de seguir carreira no ramo musical é sua amiga / agente / candidata a grande amor Ellie Appleton (Lily James, adorável). É ela que o incentiva a não desistir do sonho, mesmo quando a realidade mostra que seu futuro é mais provável de criar raízes no pequeno mercado em que trabalha como vendedor.

Ao retornar para sua casa em uma noite chuvosa, Jack é atropelado por um ônibus. Ao mesmo tempo, um inexplicável apagão deixa o mundo inteiro – literalmente – às escuras por 12 segundos. Quando tudo volta ao normal, o protagonista perceberá que algumas mudanças drásticas aconteceram, mas que apenas ele é capaz de se lembrar delas, sendo a mais explorada na narrativa, a não existência dos Beatles.

É a grande oportunidade de Jack tornar-se o astro que ele sempre sonhou, ao apresentar como composições de sua autoria, canções clássicas que vão da que dá nome ao filme a “Let it be”, passando por “A Hard Day’s Night” e “Hey Jude” (esta, rendendo um dos momentos mais divertidos do filme – já visto em trailer divulgado anteriormente -, com a participação do cantor Ed Sheeran).

Vale dizer que os fãs mais atentos da banda deverão perceber, além das citações escancaradas, outras mais sutis entre alguns diálogos, e esses easter eggs são bem bacanas e condizentes com os momentos em que surgem na narrativa.

A partir desse ponto, o que vemos é a história habitual do mocinho que tem a chance de mudar de vida, mas que questiona sua própria moral – ainda que mais ninguém possa fazê-lo por  não ter acesso aos elementos que o fazem sentir tal culpa. Para acrescentar dúvidas em sua mente, há Debra Hammer (Kate McKinnon exagerada, mas dentro do esperado para a personagem), empresária que tem o dinheiro como senhor absoluto e que fará qualquer coisa para lançar o álbum que, segundo ela, mudaria a história da música.

Embora não tenha reviravoltas muito inesperadas (fora uma sequência próxima ao final do longa, que serve mais como uma belíssima homenagem e que deve causar alguns olhos marejados, principalmente entre os admiradores do grupo de músicos britânicos), “Yesterday” consegue se sustentar de maneira tão leve e agradável, que não é necessário muito mais do que ele apresenta para fazer com que a plateia torça pela felicidade e êxito de Jack.

Embarque em seu Submarino Amarelo e vá para os cinemas conferir.

por Angela Debellis

Filed in: Cinema

You might like:

Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono
Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais
Crítica: “Evidências do Amor” Crítica: “Evidências do Amor”
Crítica: “A Paixão segundo G. H.” Crítica: “A Paixão segundo G. H.”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.