Festival de Cannes: Filme brasileiro “Gabriel e a Montanha” tem cena inédita liberada

“Gabriel e a Montanha”, de Fellipe Barbosa, fez sua estreia mundial no último domingo, 21 de maio, durante a programação da Semana da Crítica, prestigiada mostra paralela do Festival de Cannes, na França. A primeira exibição no Espace Miramar terminou com aplausos e emoção do público.

Com previsão de estreia nos cinemas brasileiros no segundo semestre, a obra tem produção da TvZERO, da Gamarosa Filmes & Damned Films. Uma cena inédita que acaba de ser liberada (clique aqui) mostra Gabriel (João Pedro Zappa) recebendo de presente uma sandália fabricada por amigos africanos.

A trama recria a viagem do carioca Gabriel Buchmann pela África após se formar em economia. Ele viajou para o país com o objetivo de analisar de perto a pobreza e se qualificar para um doutorado em políticas públicas na UCLA.

A história real tem roteiro baseado em anotações, e-mails para a mãe e a namorada e entrevistas com pessoas que cruzaram seu caminho na África. Gabriel morreu, em 2009, de hipotermia após decidir subir o Monte Mulanje, pico mais alto do Malawi com mais de três mil metros de altitude, sem a companhia de um guia. Seu corpo foi encontrado dias depois na subida da montanha.

Na viagem, também passou por países como Quênia e Tanzânia, sempre preocupado em conhecer as particularidades das comunidades locais, como a tribo dos Massais. Ele gastava entre dois e três dólares por dia e chegou a ajudar amigos que fez nessas regiões, pagando o aluguel mensal da casa de uma família africana com somente 12 dólares.

Ao longo da viagem, Gabriel, interpretado por João Pedro Zappa, se aventura por outras subidas difíceis, como o Kilimanjaro, ponto mais alto do continente africano. Ele também recebe a visita de sua namorada, Cris (Caroline Abras), que estava na África do Sul participando de um seminário sobre políticas públicas e, juntos, viajaram pela Tanzânia e Zâmbia. O principal objetivo do pesquisador era avaliar a miséria de perto.

Este é o segundo longa-metragem de ficção dirigido por Fellipe Barbosa, que esteve à frente do elogiado “Casa Grande” (2014), ganhador do prêmio do público no Festival do Rio. Na competição de longas-metragens, a Semana da Crítica do Festival de Cannes tem a tradição de selecionar cineastas com seus primeiros ou segundos longas.

Neste ano, o presidente do júri da mostra paralela é o cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho, que tem a missão de entregar o Grande Prêmio a um dos sete filmes em competição na Semana da Crítica, assim como o prêmio Revelação e o Discovery, este para melhor curta-metragem. Desde 1962, já participaram da Semana da Crítica cineastas como Bernardo Bertolucci, Alejandro González Iñárritu e Guillermo del Toro.

da Redação A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono Fazenda Futuro: Confira duas receitas para aproveitar os alimentos da estação, junto da chegada do outono
Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais Amazon Prime Video lança filme sobre batalha musical com grande elenco de influenciadores digitais
Crítica: “Evidências do Amor” Crítica: “Evidências do Amor”
Crítica: “A Paixão segundo G. H.” Crítica: “A Paixão segundo G. H.”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.