Iniciativa Artesanato: Saiba mais sobre os produtos da “Negro Gato”

Com o avanço da pandemia de COVID-19 (causada pelo Coronavírus), a economia global foi severamente afetada. Entre os que tiveram sua renda mais comprometida, estão os artesãos autônomos que dependem de eventos sazonais – em sua maioria esmagadora cancelados e /ou adiados por seus realizadores – para efetuar boa parte de suas vendas.

É para ajudar na visibilidade de seus trabalhos que nós do A Toupeira e nossos companheiros de trabalho do site CFNotícias começamos a série especial: “Iniciativa: Artesanato”. Neste primeiro capítulo, vamos falar sobre Claudia Haynal, fundadora da marca Negro Gato.

O amor pelo artesanato começou aos oito anos, quando Claudia fazia as coisas para acompanhar sua mãe, também artesã. O que começou como um hobby ganhou ares de profissional em 1990, quando o país sofreu com uma onda generalizada de desempregos devido ao chamado “Plano Collor”. Nesse período, ela que já gostava de fazer tricô, fez suéteres super elaborados para venda.

O ano de 1991 foi o início de uma carreira acadêmica de quase 20 anos, na área de Design, mas o artesanato permaneceu como um importante complemento de renda e válvula de escape criativa. Em 2011, desencantada com o trabalho de professora e devido a todas as dificuldades enfrentadas no percurso, Cláudia transformou seu “Plano B” em meta de vida, e assim tem sido até agora.

 

Os produtos criados por ela começaram a ser oferecidos ao grande público com mais regularidade. Eventos, feiras de rua, bazares eram os locais para venda desde bijuterias em couro e pedras (com apelo mais esotérico), passando por roupas de bebê mais “descoladas” e nerds, até descobrir há seis anos, a técnica japonesa do “Amigurumi” (Bonecos de crochê) e suas possibilidades.

Apesar de ser de forma bastante inesperada, a temática medieval e geek entrou de vez na vida da artesã e tomou todo o espaço, afinal, ela mesma se classifica como nerd. A participação frequente em eventos mais imersivos e específicos, levou à criação e confecção de acessórios e personagens diversos.

 

Com tanto tempo de prática, hoje Claudia alia seus conhecimentos e técnicas adquiridas em seu tempo no ramo acadêmico com as técnicas de confecção do tricô, crochê, entre muitas outras, e desenvolve um trabalho de “escultura” dos pet amados dos clientes que buscam  eternizar  seus animais de estimação de qualquer espécie: desde periquitos, porquinhos de Índia, coelhos, e é claro, cães  e gatos.

 

“Deixei a carreira docente com a intenção de ser feliz, mas estou descobrindo que posso ser mais útil realizada, fazendo os outros mais felizes”, declara Claudia.

A venda física dos produtos confeccionados por ela é feita junto a bares parceiros e em eventos temáticos. Também é possível adquiri-los online, através das redes sociais da artesã:

 

Facebook: https://www.facebook.com/NegroGato.8/

Instagram: https://www.instagram.com/negrogato_claudiahaynal/

Lembrando que ninguém solta o fiozinho de lã de ninguém!

Crédito das fotos: Claudia Haynal / Divulgação.

por Angela Debellis

Filed in: De tudo um pouco

You might like:

Petlove celebra 25 anos com evento de adoção em nova loja conceito na Oscar Freire, em São Paulo Petlove celebra 25 anos com evento de adoção em nova loja conceito na Oscar Freire, em São Paulo
“Era imperativo para mim que tudo fosse feito do ponto de vista da Amy”, afirma roteirista de “Back to Black” “Era imperativo para mim que tudo fosse feito do ponto de vista da Amy”, afirma roteirista de “Back to Black”
Jeffrey Wright é confirmado no elenco da segunda temporada de “The Last Of Us” Jeffrey Wright é confirmado no elenco da segunda temporada de “The Last Of Us”
“Nove e Meia Semanas de Amor”: Clássico dos Anos 1980 volta aos cinemas em junho “Nove e Meia Semanas de Amor”: Clássico dos Anos 1980 volta aos cinemas em junho
© 8686 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.