Crítica: “Nona: Se me molham, eu os queimo”

O mais encantador quando o assunto é cinema é poder andar por caminhos que confundem o imaginário do espectador, é usar elementos do cotidiano para construção de histórias fantásticas e Camila José Donoso fez isso em seu mais recente trabalho “Nona: se me molham, eu os queimo”.

A produção é sobre uma idosa que usa um coquetel Molotov para causar um incêndio em prol de uma vingança. Devido a isso, ela se vê obrigada a deixar a capital do Chile e se “esconder” em Pichimlemu, uma pequena cidade costeira.

O roteiro – também de Camila – expõe as várias faces de uma mesma mulher: ora a vemos modesta e vulnerável, ora tomada pela soberba e sarcasmo. Em dado momento, é uma dona de casa que se ocupa de afazeres comuns, em outro age de maneira misteriosa e até suspeita.

O documentário ficcional trabalha com uma série de elementos visuais que nos remetem a essa inconsistência em relação à personalidade da protagonista, vemos vídeos que aparentam serem gravados de maneiras diferentes.

Por vezes está em uma conversa alegre e descontraída e podemos perceber a fragilidade da senhora em frente às câmeras, contudo há cenas mais elaboradas com ângulos calculados em uma linguagem mais cinematográfica.

Há utilização de uma espécie de filtro vermelho em algumas sequências e um possível envelhecimento das imagens – que particularmente me incomodam. Entretanto a mescla de imagens reais e ficcionais é interessante e compõe uma narrativa interessante.

O elenco conta com Josefina Romírez como Nona, que está excepcional em todas as suas performances; o brasileiro Eduardo Moscovis também participa da produção. Há uma infinidade de figurantes que nitidamente são pessoas comuns, o que em determinados contextos dão a impressão de que estamos imersos em um documentário amador, muito bem produzido, diga-se de passagem.

Vale lembrar que “Nona: se me molham, eu os queimo” já rodou o mundo em festivais como: “International Film Festival Rotterdam”, “Jeonju International Film festival”, “Festival do Rio”, “Festival internacional de Curitiba”, entre outros.

O filme é uma das estreias nos cinemas brasileiros dessa semana. Confira.

por Carla Mendes – especial para A Toupeira

*Título assistido via streaming a convite da Vitrine Filmes.

Filed in: Cinema

You might like:

AMPARA Animal faz projeções de animais para adoção em prédio no centro de São Paulo AMPARA Animal faz projeções de animais para adoção em prédio no centro de São Paulo
Ainda dá para conhecer o espaço “Maluquinho por Robótica” no Shopping Campo Limpo Ainda dá para conhecer o espaço “Maluquinho por Robótica” no Shopping Campo Limpo
“Matrix Resurrections” ganha data para chegar à HBO Max “Matrix Resurrections” ganha data para chegar à HBO Max
Gloob apresenta a quinta edição do “Rolê Gloob” Gloob apresenta a quinta edição do “Rolê Gloob”
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.