Direto da Toca: Assistimos a cenas de “Projeto Gemini”

Crédito: Angela Debellis

Fomos convidados pela Paramount Pictures para assistir, em primeira mão, a três cenas de “Projeto Gemini” (Gemini Man), novo trabalho do astro Will Smith. O longa conta com uma inovadora tecnologia que promete impressionar os espectadores quando chegar aos cinemas em 10 de outubro (data de estreia no Brasil).

A trama nos apresenta Henry Brogan (vivido por Will Smith, atualmente com 50 anos) e uma versão mais jovem chamada Junior, definida como um clone de 23 anos do protagonista. A novidade fica para o fato de esse personagem ter sido criado de maneira 100% digital, não havendo uso de nenhuma técnica de rejuvenescimento facial (já vista em diversos filmes com o intuito de promover cenas passadas em anos anteriores aos da narrativa corrente).

A qualidade das imagens impressiona logo de cara. Exibido com o recurso de um novo 3D, agora chamado de 3D+ em HFR (High Frame Rate), o filme ganha em cores e detalhamento de texturas, assim como cria uma profundidade que, de tão funcional, a princípio me deixou um pouco tonta – mas é fácil acostumar-se com ela rapidamente.

Após a exibição das cenas, conferimos o vídeo de uma entrevista concedida por Will Smith (protagonista do filme), Ang Lee (que está à frente da direção) e Jerry Bruckheimer (produtor). O trio foi unânime em afirmar sua empolgação com o resultado alcançado.

O roteiro começou a ser pensado há cerca de 25 anos, mas não tinha saído do papel pela impossibilidade de realizá-lo de maneira eficaz pela falta de tecnologia para a criação do personagem mais jovem, coisa que na atualidade já é possível de ser feita com muita capacidade, conforme vimos nos minutos que nos foram apresentados.

Para se ter uma vaga noção do que esperar, basta dizer que as produções a que assistimos são gravadas em 24 quadros por segundo e “Projeto Gemini” foi concebido com 120 quadros por segundo, o que significa, conforme o próprio trio declarou, que coisas que normalmente são até mesmo “escondidas” com esse tipo de filmagem tradicional, acaba ganhando um destaque ainda mais impressionante com o aumento do número de quadros captados por segundo.

Por isso, Will Smith foi elogiado não só por sua atuação – que implicou em agir como dois personagens distintos e completamente diferentes – mas pela coragem e ousadia em passar por todas as inéditas etapas que compuseram o planejamento de gravação.

Em pouco mais de um mês será possível conferir a promissora produção nos cinemas brasileiros e nossa crítica completa estará no ar na data de estreia, 10 de outubro.

por Angela Debellis

Filed in: Cinema, Direto da Toca

You might like:

Adaptações de sucesso: Filmes baseados em grandes livros têm desconto no TVOD Adaptações de sucesso: Filmes baseados em grandes livros têm desconto no TVOD
“Mulher Maravilha 1984” antecipa estreia no streaming e chega em janeiro no NOW “Mulher Maravilha 1984” antecipa estreia no streaming e chega em janeiro no NOW
American Film Institute divulga sua lista de melhores filmes e séries de 2020 American Film Institute divulga sua lista de melhores filmes e séries de 2020
Ursos Teddy invadem pontos turísticos de São Paulo em comemoração aos 467 anos da capital Ursos Teddy invadem pontos turísticos de São Paulo em comemoração aos 467 anos da capital
© 2021 AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.