Com Lázaro Ramos, “Ó Paí, Ó 2” chega aos cinemas no mês da Consciência Negra

O ator Lázaro Ramos retorna ao Pelourinho para interpretar o cantor Roque, um dos personagens mais marcantes de sua carreira, em “Ó Paí, Ó 2”. A comédia já tem data marcada para chegar aos cinemas: dia 15 de novembro, no mês da Consciência Negra.

Depois do sucesso do primeiro longa da franquia, Dira Paes, Érico Brás e Luciana Souza retornam ao elenco, além de novos nomes como Luis Miranda e Margareth Menezes. O longa é uma produção da Dueto e Casé Filmes, em coprodução com Canal Brasil, Globo Filmes e Telecine e com distribuição da H2O Films.

Mais de 15 anos depois do sucesso do primeiro longa, Roque se prepara para lançar sua primeira música e está confiante que irá, finalmente, alcançar a fama como cantor. Enquanto isso, o cortiço de Dona Joana (Luciana Souza) continua agitado em meio a fofocas e confusões entre os novos moradores e vizinhos. A animação da turma é ainda maior com as preparações para a Festa de Iemanjá, uma das mais populares do calendário baiano, que concentra uma multidão em Salvador.

A passagem do tempo é vista nos filhos dos moradores do cortiço – bebês e crianças no filme de 2007, agora adolescentes e jovens adultos. Entre eles Salvador (João Pedro), filho de Roque; Michelangelo (Pedro Amorim) e Reginho (Thiago Marinho), filhos de Maria (Valdinéia Soriano) e Reginaldo (Érico Brás); Gisele (Ariele Pétala), filha de Yolanda (Lyu Arisson) e Neusão (Tânia Tôko).

Filmado no Centro Histórico de Salvador e no bairro do Rio Vermelho, “Ó Paí Ó 2” utiliza humor e música para abordar temas sociais e denúncias do cotidiano da população pobre e, em sua maioria, negra.

A trama vai apresentar novas aventuras dos personagens que marcaram o primeiro longa. Além de Dira Paes, Érico Brás e Luciana Souza, retornam à produção Tânia Tôko, Rejane Maia, Lyu Arisson, Jorge Washington, Cássia Valle, Edvana Carvalho, Vinícius Nascimento, entre outros.

Somam-se ainda ao elenco em participações especiais os atores Luis Miranda, Ricardo Oshiro e Clara Buarque, e representantes da cena musical baiana, como os cantores Russo Passapusso (BaianaSystem), Margareth Menezes, Tiganá Santana, Guiguio Shewell (ex-Ilê Aiyê), Pierre Onassis (ex-Olodum), Nininha Problemática, o grupo Attooxxa e a cantora Alana Sarah.

A diretora Viviane Ferreira, segunda mulher negra no Brasil a dirigir individualmente um longa-metragem de ficção, também assina o roteiro ao lado de Elísio Lopes Jr, Daniel Arcades, Igor Verde e colaboração de Luciana Souza, Bando de Teatro Olodum e Rafael Primot. Primeira brasileira a ganhar um prêmio no Festival de Sundance, Lílis Soares assina a direção de fotografia.

Sinopse:

Mais de quinze anos se passaram entre os dois filmes. Agora, Roque (Lázaro Ramos) está prestes a lançar sua primeira música e acredita que vai se tornar um artista de sucesso. Em tratamento psicológico desde o assassinato de seus filhos, Dona Joana volta a aprontar no prédio, mas há quem ache que ela é quem está certa.

Já Neusão, perde seu bar para uma turma de caráter duvidoso, causando uma comoção geral. Enquanto isso, os jovens da segunda geração dominam a tecnologia e lutam pela causa negra com atitude regada à música e poesia.

Crédito das fotos: Divulgação.

da Redação A Toupeira

Filed in: Cinema

You might like:

Crítica: “Wonka” Crítica: “Wonka”
Crítica: “Maestro” Crítica: “Maestro”
“Wonka” é tema de novo combo especial no Kinoplex “Wonka” é tema de novo combo especial no Kinoplex
Após estreia nos cinemas, “TPM! Meu Amor” chega ao Star+ Após estreia nos cinemas, “TPM! Meu Amor” chega ao Star+
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.