História real de canibalismo em Porto Alegre inspira sátira contemporânea

Créditos: Divulgação | Citadel Grupo Editorial – Lucens Editorial

Ambiciosos, José Ramos e Catarina Palse escolhiam juntos a presa: homens, afortunados e, geralmente, imigrantes alemães. Enquanto a missão dela era seduzir e atraí-los para a casa onde moravam, a dele era transformar o corpo humano em cadáver.

Com a ajuda de Claudio Claussner, eles transformavam a carne em linguiças, comercializadas em um açougue. A prática insólita que aconteceu em Porto Alegre, em 1863 e 1864, repercutiu no mundo todo e ganhou espaço até mesmo no caderno de anotações do naturalista Charles Darwin.

Um século e meio depois, é possível que a história se repita? Em Os canibais da Rua do Arvoredo, o escritor e roteirista Tailor Diniz apresenta uma narrativa instigante e provocadora em torno de um novo boato sobre o consumo de carne humana na capital do Rio Grande do Sul.

Influenciados pelos espíritos dos antigos moradores do local, um aluno de gastronomia e uma estudante de medicina viverão momentos de luxúria e terror num porão de pedras antigas em meio a facas, cutelos, machados, um moedor de carne e um esqueleto humano.

José, então, enfia a mão pelo buraco que se abriu no tórax do outro e o revira, no fundo. Depois de algum esforço, puxa algo para fora, ainda pulsante.

É o coração de Alex que ele ergue diante dos olhos e no qual dá uma grande mordida, tirando-lhe um naco ensanguentado.

Seu rosto cobre-se de sangue. Do sangue de Alex e do seu próprio, expressado sob a transparência da pele enquanto corre nas suas veias a uma estúpida velocidade de cruzeiro.

Catarina olha-o amedrontada. Mas ali, naquele instante, para José só existe Alex.

Alex e seu coração pulsante, que ele agride com sucessivas mordidas e tapas.

(Os canibais da Rua do Arvoredo, pg. 92)

Na sátira, a trama é narrada por um observador onipresente, que se apresenta como membro de uma organização internacional, cujo objetivo é dominar o mundo e transformar a população em comunistas/globalistas.

Através de uma tela de computador, ele segue freneticamente os passos do casal de estudantes que leva os mesmos nomes dos antigos assassinos, José e Catarina. É possível confiar neste relator? Por que os dois jovens foram escolhidos? De quem e por qual motivos os espíritos desejavam se vingar?

É o que o leitor vai descobrir nas páginas de “Os canibais da Rua do Arvoredo”, publicada pelo selo Lucens, da Citadel Grupo Editorial. Nessa antiga lenda urbana porto alegrense, que será adaptada para o cinema, Tailor Diniz tempera o enredo com elementos adicionais: o fastio à carnificina, o ardente desejo sexual, o medo e a conexão entre passado e presente.

Ficha Técnica:

Título: Os canibais da Rua do Arvoredo

Autor: Tailor Diniz

Editora: Citadel Grupo Editorial

Selo: Lucens

ISBN: 978-6550472788

Dimensões: 15.5 x 1.2 x 23 cm

Páginas: 208

Preço: R$ 66,90

Onde comprar: Amazon

da Redação A Toupeira

Filed in: Livros

You might like:

Que palavra é essa? Leitura infantil para ampliar o vocabulário Que palavra é essa? Leitura infantil para ampliar o vocabulário
Fundação Japão promove Anisong Dance All Styles Battle – Conexão Brasil Japão Fundação Japão promove Anisong Dance All Styles Battle – Conexão Brasil Japão
Super Férias Cinesystem: todo mundo paga meia de segunda a quinta Super Férias Cinesystem: todo mundo paga meia de segunda a quinta
“O Urso S3” – Tudo que você precisa saber sobre a terceira temporada “O Urso S3” – Tudo que você precisa saber sobre a terceira temporada
© AToupeira. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.